Revendo a Religião

29/04/2010

Mais do Mesmo: Pedofilia

Há aproximadamente dois anos escrevi um artigo acerca do crime de pedofilia praticado por aqueles que alastram de forma epidêmica as palavras de um ser imaginário. Era, de fato, dificil escrever sobre algo que realmente desperta na mente de qualquer pessoa sã um sentimento crescente de revolta, de impotência e, principalmente, de incompreensão, afinal, é completamente impossível entender como uma pessoa adulta pode enxergar numa criatura ainda no estágio primeiro de seu desenvolvimento um apelo sexual, uma provocação intencional. Crianças são puras, inocentes, e vislumbrar nessa inocência uma oportunidade de satisfazer uma parafilia é mais do que uma doença, é um ato repulsivo, uma afronta aos costumes que, ironicamente, são defendidos cega e duramente pela mesma instituição que acoberta tal barbárie.

Os dias foram, um a um, riscados dos calendários, e sinceramente desejava não ter que ser novamente mobilizado a escrever algo sobre esse tema.

Mea culpa.

(more…)

Anúncios

02/01/2008

Pedofilia e Igreja

Filed under: crianças,igreja,padres,pedofilia,religião,Vaticano — jorgesneto @ 8:25 pm
Tags: , ,

Como alguns devem saber (ou ao menos imaginar), a pedofilia é uma atrocidade que, diferentemente do que muitas pensavam, já ocorre por décadas dentre as “quatro paredes sagradas” da igreja (recuso-me a escrever igreja com “i” maiúsculo, não vejo motivos para isso). Certamente, como disse o Côn. José Roberto Silva, da Arquidiocese do Rio, a pedofilia não é algo “patognomônico” da igreja. Claro, o meu vizinho pode ser um pedófilo, seu primo distante pode ser um pedófilo, mas creio que nenhum deles (exceto aqueles que pregam “a palavra do homem-invisível”) considera-se o portador de mensagens divinas, o representante de um ser superior na terra, e aposto que nenhum deles utiliza desses artifícios para viver uma vida estrategicamente solitária, não no sentido de ausência de amigos ou quaisquer entes queridos, mas sim solitária de sentimentos inerentes aos humanos, como a libido, o prazer sexual, os “prazeres da carne”.

Agora, o que podemos pensar de uma pessoa como essa, – apta a preencher todos os critérios anteriores de “portador de mensagens divinas”, usuária de um poder ridiculamente concedido por outros que, como ele, pensam que através do domínio das grandes massa, o poder despejado nas veias da igreja aumentará em ritmo exponencial, permitindo um extermínio mental cada vez maior, e um saldo bancário idem – que utiliza então desse asqueroso poder para aproveitar-se de uma criança, de um corpo sem resistência, de uma mente incapaz de compreender ipsis literis o que está se passando naquele momento em que sua inviolabilidade é retirada com a mesma agressividade que se emprega para esfolar um animal abatido rumo ao açougue? Acho que monstro seria (more…)

Blog no WordPress.com.