Revendo a Religião

14/10/2010

Idoneidade Moral e Religião

Filed under: ateísmo,religião — jorgesneto @ 11:05 pm
Tags: , , , , , , , , ,

Sou ateu. Não procuro silenciar minhas perguntas deglutindo informações fabricadas por criaturas inescrupulosas que julgam possuir conhecimento profundo sobre coisa nenhuma, ou seja, sobre Deus. Abdico de seguir um ensinamento que traz como único “benefício” a condenação racional, pois prefiro deixar fluir em minhas veias a doce vacina do pensamento crítico e racional. Não enxergo Deus em nada, afinal, Deus não passa de uma solução criada por homens oportunistas que necessitavam comandar uma massa populacional em constante crescimento, e nada melhor do que a coerção e o medo para controlar criaturas fracas e inertes racionalmente.

Possuo pensamentos que diferem da grande maioria da população brasileira e que geralmente acabam entrando em conflito com os princípios ideológicos dessa grande massa. Através do prisma distorcido desse imenso grupo, torno-me a personificação da falta de caráter e escrúpulos, como se meus princípios ferissem as leis de convivência tal como a lâmina da espada fere a pele nua.

A sociedade que ainda segue os trilhos do pensamento bitolado não consegue enxergar a pessoa que está vinculada ao pensamento ateísta, criando, desse modo, um estereótipo totalmente incoerente. Ateus passam a ser pessoas ruins, e ponto.

Será que ateus são todos indivíduos desprezíveis? Será que todos os religiosos possuem uma idoneidade moral acima de qualquer suspeita? (more…)

16/04/2010

Ser Cristão

Liberdade. Esse belo vocábulo é mais do que um agrupamento de letras, é uma filosofia de vida. O embrião da humanidade teve sua história primitiva baseada na liberdade, embora com o decorrer dos anos, o conceito intrínseco na palavra veio sendo diminuído até assumir a mínima proporção de ideal inalcançável. Embora a liberdade possa ser considerada por muitos um devaneio utópico, consegue ainda se fazer presente em uma das principais escolhas que o homem pode realizar durante seu período de existência: pode-se escolher continuar livre ou condenar-se por opção.

A lógica irrefutável fornece um caminho único, reto, plano, sem contradições, uma viagem confortável ao interior da mente humana para podermos localizar a essência do homem e dela obter as respostas às perguntas que frequentemente não temos paciência para responder. No interior da mente humana podemos encontrar a resposta para tudo aquilo que nos cerca, desde que tenhamos a placidez de exercitar a habilidade do questionamento. Assim funciona a ciência, onde não se tem a resposta de tudo, mas constantemente há a procura para preencher essas lacunas.

Somos seres privilegiados, mas devemos fazer por merecer esse privilégio. Exercitamos esse dom quando (more…)

05/11/2009

Onde Está Deus?

Como qualquer integrante desse grande circo chamado humanidade, também tenho dias em que pensamentos negros, revoltantes e tristes povoam minha mente: pessoas tendo seus sonhos despedaçados com a mesma facilidade com que abrimos a janela de casa, jovens encurtando involuntariamente suas jornadas repletas de possibilidades pelo grotesco fato de um projétil de arma de fogo transpassar seus crânios, projétil esse oriundo do cano fumegante de um símbolo bélico empunhado por um traficante de drogas que sustenta o vício no irreal de milhares de outros jovens, os quais de fato estariam melhores com um buraco em seus crânios do que vivendo as migalhas do que sobrou de suas dilaceradas vidas.

Não obstante, vemos neonatos anencéfalos chegando a um mundo que jamais chegarão a conhecer; crianças dando adeus aos seus primeiros passos por sucumbirem a cânceres incuráveis; pessoas que gozam da mais plena saúde morrendo em desastres inexplicáveis; políticos contemptíveis atufando seus bolsos com dinheiro que deveria ser aplicado para aprimorar sistemas precários de saúde, educação e transporte (além de outros); policiais protegendo não a população indefesa, mas sim os malfeitores que despertam o terror e o medo em indivíduos corretos e trabalhadores; homens se matando por uma simples discussão de bar.

Os pensamentos negros, ao mesmo passo que nos conduzem por um mundo que fazemos questão de não enxergar, conseguem trazer um fino fio de esperança, pois nossas mentes são programadas justamente para tentar responder e consertar tudo aquilo que julgamos errado ou fora de lugar.

Mas, após pensar em tantos fatos que deveriam ficar trancafiados nos porões deploráveis da podridão, uma pergunta vem à tona: (more…)

14/10/2008

01/07/2008

O Nascer de uma Religião

Escrevi, há tempos, sobre quão antigo é o mal gerado pelo nascimento de uma religião, composta basicamente por um punhado de premissas inexistentes, que corroem aos poucos os diminutos traços de razão que o ser humano conseguiu adquirir em sua longa trajetória de evolução.

Mas, como será que, efetivamente, nasce uma religião?

Ao contrário do que você pode imaginar, não existe a necessidade de uma multidão de devotos, ou de uma horda de pregadores embriagados pelo poder. Há apenas um requisito básico para que uma nova ordem religiosa – um calabouço que trancafia em suas entranhas o lado humano do ser – surja tão repentinamente quanto a rápida chuva de verão: a ignorância humana.

Por comodidade, preguiça e falta de discernimento, o homem consegue atribuir significados estapafúrdios para coisas que, se fossem processadas através da lógica racional, poderiam ser prontamente explicadas, ou ao menos suficientemente compreendidas. Isso é tão verdade que, nos primórdios, as civilizações eram evidentemente politeístas, uma vez que atribuíam aos diversos deuses fenômenos naturais posteriormente detalhados por mentes abertas aos sinais da própria natureza, e não trancafiadas em um mundo celestial habitado por criaturas sádicas e impiedosas.

Deparando-se com aquilo que não conhece, o homem simplesmente atribui-lhe um significado divino, já que seu comodismo impede que as enferrujadas engrenagens de seu cérebro ainda primitivo trabalhem em ritmo constante e eficiente. Sempre que o tolo homem esbarra no desconhecido, o poder (more…)

Próxima Página »

Blog no WordPress.com.