Revendo a Religião

16/04/2010

Ser Cristão

Liberdade. Esse belo vocábulo é mais do que um agrupamento de letras, é uma filosofia de vida. O embrião da humanidade teve sua história primitiva baseada na liberdade, embora com o decorrer dos anos, o conceito intrínseco na palavra veio sendo diminuído até assumir a mínima proporção de ideal inalcançável. Embora a liberdade possa ser considerada por muitos um devaneio utópico, consegue ainda se fazer presente em uma das principais escolhas que o homem pode realizar durante seu período de existência: pode-se escolher continuar livre ou condenar-se por opção.

A lógica irrefutável fornece um caminho único, reto, plano, sem contradições, uma viagem confortável ao interior da mente humana para podermos localizar a essência do homem e dela obter as respostas às perguntas que frequentemente não temos paciência para responder. No interior da mente humana podemos encontrar a resposta para tudo aquilo que nos cerca, desde que tenhamos a placidez de exercitar a habilidade do questionamento. Assim funciona a ciência, onde não se tem a resposta de tudo, mas constantemente há a procura para preencher essas lacunas.

Somos seres privilegiados, mas devemos fazer por merecer esse privilégio. Exercitamos esse dom quando encontramos curas para doenças antes julgadas incuráveis; conseguimos interagir com a humanidade de maneiras antes impensáveis; amparamos os necessitados; raciocinamos e encontramos soluções, ao invés de respostas empíricas; valorizamos o ambiente que nos acalenta; e, mais importante, quando deixamos falar nosso lado racional, pensante que, se posto em prática de forma metódica, consegue trazer à tona o maior de nossos privilégios, o raciocínio lógico.

A lógica e o privilégio do raciocínio fazem com que o homem seja livre.

Entretanto, nem todos preferem seguir o mesmo caminho. Alguns preferem cometer o ato covarde do homicídio racional, comprando uma passagem só de ida para um mundo fantasioso, irreal.

Esses são os cristãos.

O homem é sabidamente dotado da capacidade de tomar decisões, mas deve-se saber aproveitar essa aptidão dando sempre preferência a escolhas que tem o intuito de aprimorar a vivência, tornando o homem um ser mais completo, eficaz e útil. Não se deve, jamais, abdicar da humanidade, mas é exatamente isso que o cristão faz.

O cristão prefere abandonar o universo humano, trocando-o por uma simples promessa infundada, estapafúrdia, desconexa, conhecida como “Deus e Seu reino”. O cristão renega o seu intelecto e se entrega de braços aberto ao nada! E ainda crê piamente que essa autocondenação irá salvá-lo de um hipotético “dia do juízo final”! O ser crente abandona sua vida, seus pensamentos, para abraçar uma causa que já nasceu morta, pois foi fabricada do início ao fim com o único propósito de enganar aqueles que não sabem pensar por si próprios. O religioso abdica do próprio homem, pois nele só consegue enxergar o ódio, a raiva, a podridão, o asco, a infâmia e o pecado, transformando-se dessa forma num caçador tresloucado que tenta paulatinamente arrancar sua própria pele para poder pendurá-la junto com a de outros cristãos na sala de troféus da igreja mais próxima.

Ninguém odeia mais o homem (que daqui por diante faça-se entender como “homem livre”) do que o fiel religioso.

Ao odiar o homem, o cristão não está demonstrando o descontentamento com a fisionomia ou com a constituição física de outrem, mas sim com as verdades que enxerga forçadamente, e das quais não tem como fugir. O cristão tem raiva do homem porque nele vislumbra tudo aquilo gostaria de fazer, mas que acaba sendo impedido de realizar já que a sua “religião não permite”. O evangélico, por exemplo, esconde as pernas de sua mulher ao mesmo tempo em que seus olhos brilham de desejo ao ver as pernas torneadas de uma mulher usando minissaia ao seu lado. O católico fervoroso acha absurdo o uso de preservativos, mas não encontra pecado nenhum no fato de ir para uma festa e transar com a primeira desconhecida que encontrar, mas, contraditoriamente, usando preservativo, pois teme adquirir involuntariamente alguma doença sexualmente transmissível (afinal, por que temer, se Deus dá tudo àqueles que seguem seus preceitos?). Atos banais como esses exemplificados apenas atestam a ignorância dos religiosos, os quais seguem a religião por comodismo, imposição ou mesmo teimosia.

É cômodo ser cristão. Basta sentar, escutar e não argüir. Se o que estiver sendo ministrado pelo pregador divergir do seu resquício de pensamento ainda existente, basta adaptar o “ensinamento” à sua verdadeira conduta e pronto, você passa a ser um religioso hipócrita, que defende a glória e o sangue de Jesus ao mesmo passo que humilha o vizinho pelo fato dele ser negro ou homossexual. Tudo em nome de Jesus é claro.

Ser cristão é uma ofensa ao passado, uma vez que as barbáries cometidas em nome deste desprezível homem-invisível chamado Deus são atenuadas de uma forma ultrajante, até mesmo revoltante; é um descaso com o presente, pois se esquece de viver a vida em sua plenitude em detrimento de um mundo que nunca vai chegar; é esquecer o compromisso com o futuro, pois a vida deixa de ser uma preocupação de agora para se tornar uma promessa infundada no nunca.

O cristão é um homem morto por dentro, pois preenche a lacuna deixada pela racionalidade com a insanidade. Ele encara a sua vida como uma prisão, onde seu carrasco e executor é aquele mesmo ser imaginário que promete um pedaço de céu em troca de uma devoção doentia.

Ser cristão é ser alienado, covarde, hipócrita, ignorante, infeliz. É ser assassino de sua própria mente. É acreditar que uma força suprema fará pelos outros o que ele cristão jamais ousou fazer. É ser fraco, por não ousar empreender uma jornada de confrontação contra seus pregadores, forçando-os a confessar a real intenção de seus atos.

Ser cristão é ser condenado.

Anúncios

23 Comentários »

  1. Aconselho você a rever seus conceitos sobre Cristianismo e estudar mais ao invés de só escrever frases clichês ou repetir que nem papagaio o que muitos “racionalistas” dizem por aí..

    http://pt.wikipedia.org/wiki/R%C3%A9gine_Pernoud

    http://web.letras.up.pt/alaranj/O%20Mito%20da%20Idade%20M%C3%A9dia.pdf

    Comentário por Nathália — 17/05/2010 @ 8:06 pm | Responder

    • Cara Nathália,

      Dentre os comentários que recebo sobre meus artigos, encontram-se vários escritos por religiosos. A maioria deles não diz nada, pois não encontro fundamentos, mesmo que absurdos, em seus textos. Ao ler os seus comentários, entretanto, pude perceber que você é uma pessoa que gosta de ter embasamento antes de ingressar em alguma discussão. Gosto disso. É deprimente tentar iniciar um debate com alguém desprovido de argumentos, pois sendo assim nada de novo se obtem. Diante de tanto material trazido por você até meu blog, pensei, honestamente, que finalmente havia encontrado um religioso que estivesse munido de argumentos plausíveis, inquietantes. Enganei-me.

      Os religiosos tem por costume revirar os acervos culturais (sejam eles de qualquer natureza) em busca de dados que fomentem sua fé, mas invariavelmente acabam apenas saciando a fome dos ateus, afinal, todos os argumentos por aqueles levantados são vigorosamente destruídos por estes. O material por você fornecido é tão rico em embustes que poderei criar um novo artigo usando como base o que você trouxe a esse espaço, sendo assim, nesse comentário não irei falar sobre os vídeos e documentos, mas apenas sobre o pouco que você falou com suas próprias palavras.

      Muitas pessoas vem ao meu blog com orações, preces e súplicas, rezando para que minha alma conheça o caminho para o “senhor”. São apelos risíveis, mas ao menos são apelos, e embora seus textos sejam vazios, buscam expor as ideias que habitam suas pobres mentes. Você nem isso fez. Apenas expôs um material, não comentou nem arguiu, não demonstrou sua opinião sobre o assunto. Embora agradeça o material aqui divulgado, agradeceria muito mais se pudesse ter lido sua opinião sobre o que foi aqui publicado, para compreender a sua linha de raciocínio. Peço que na próxima você use palavras suas ao invés de palavras prontas.

      Você diz para eu estudar mais. Concordo. Quem não estuda, não evolui, acaba ficando estagnado, inerte, apenas “vendo a vida passar”. Não tenho todo o conhecimento que gostaria de ter, e provavelmente nunca conseguirei atingir o grau que almejo, mas ao menos faço uso do meu raciocínio, da minha lógica. Gosto de escrever o que penso, exponho as minhas ideias, os meus pensamentos, as minhas convicções; não me deixo levar pela maré da ignorância, reluto em ser apenas mais um homem que apenas anda por aí sem em nada contestar. Isso é ser racional. Talvez não seja necessário decorar livros de filósofos, ou recitar trechos de grandes nomes da história: basta enxergar o mundo e ver que não há nada de Deus nele. A verdade é simples, os homens tornam-na complicada.

      Ao contrário do que você possa imaginar, continuo estudando tanto quanto posso. O estudo e as ciências abriram minha mente para o mundo real, sem interferências divinas, onde é preciso usar a lógica e o raciocínio, e não palavras desprovidas de crédito. Se você fosse adepta da mesma metodologia de ensino certamente hoje estaríamos tecendo comentários convergentes.

      Comentário por jorgesneto — 18/05/2010 @ 6:11 pm | Responder

      • “Ser cristão é ser alienado*, covarde, hipócrita*, ignorante, infeliz*. É ser assassino de sua própria mente.”

        “Ser cristão é uma ofensa ao passado, uma vez que as barbáries cometidas em nome deste desprezível homem-invisível* chamado Deus são atenuadas de uma forma ultrajante, até mesmo revoltante(…)”

        Você diz que defende a racionalidade, mas o seu texto extremamente subjetivista, carregado e emocionalismo…
        Como os ateus em geral se ligam tanto ao materialismo, até mesmo a ideia que possuem de “Deus” é de certa forma paradoxalmente corporificada ( “homem-invisível” ).

        Este vídeo explica um pouco do que penso sobre o seu texto sobre cristãos…

        Comentário por Nathália — 23/05/2010 @ 7:24 pm

  2. videos…

    Comentário por Nathália — 17/05/2010 @ 8:44 pm | Responder

  3. e por fim… sobre inquisição – museu da inquisição, Lima





    Comentário por Nathália — 17/05/2010 @ 8:49 pm | Responder

  4. Coloquei apenas as fontes não como forma de defesa, mas apenas de demonstrar um outro lado que em geral não se coloca. Apenas isso. Acredito na sua busca pelo conhecimento,mas seu discurso é bastante semelhante ao de outros que já li.

    Comentário por Nathália — 21/05/2010 @ 9:12 pm | Responder

  5. Quanto à colocar materiais e não tanto a minha “opinião”, só procurei colocar materiais de pessoas que têm mais conhecimentos que eu. Quanto a falar especificamente do Cristianismo, não tem como eu escrever por aqui. O assunto é muito complexo, muito denso. Só para falar do símbolo do peixe, Jesus e Maria, eucaristia escreveria um texto como o seu, provavelmente maior. Jesus ( ichtys ) que nasceu da “Maria” ( mares em latim e mar na língua hebraica ). A questão do batismo primitivo feito numa espécie “piscina”, um lugar onde corre peixes, símbolo de renascimento…assim como a gestação está relacionado ao líquido, à agua ( placenta, líquidos, etc )… por aí vai

    Comentário por Nathália — 21/05/2010 @ 9:40 pm | Responder

    • Cara Nathália;

      Primeiramente devo dar-lhe os parabéns, pois você é a segunda pessoa religiosa que até então soube voltar ao blog pra tentar defender seu ponto de vista. Isso é fato raro, pois a maioria dos religiosos apenas atacam, e quando recebem de volta ideias que não podem rebater voluntariamente somem, pois debandar é o caminho mais fácil (e covarde). E veja, não estou “atacando” os religiosos, estou apenas me baseando em FATOS: baste você reler todos os artigos aqui expostos, raramente obtive uma tréplica. Contra fatos não há argumentos.

      Sempre haverá aquela pessoa douta, que tem mais conhecimentos, possui maior carga cultural, vocabulário mais rebuscado, porém isso jamais deve servir como desculpa para nos privarmos de nossas próprias opiniões. Comparando-me a Christopher Hitchens, por exemplo, posso ser considerado uma pessoa desprovida de conhecimento, mas isso não impede que minha opinião seja aqui exposta, afinal, temos o livre-arbítrio que o seu deus deu, não temos? Se temos, não seria um pecado não utilizarmos tal liberdade? Por que se esconder atrás dos pensamentos de outrem? Aquele que crê piamente em seus argumentos não precisa temer a incompreensão! Qualquer ideia exposta e bem-fundamentada atrai olhares, independentemente da bagagem cultural ou dos títulos alcançados. Sendo assim, peço novamente que você exprima o seu pensamento, não o pensamento dos outros.

      Como percebi, você gosta de vídeos. Então deixe-me apresentá-la a um breve relato que consegue rebater todo os argumentos que você levantou acima sobre Deus, o peixe, Jesus, Maria etc. Ao assistir você poderá perceber (os links para o video estão no final do comentário) que tudo o que você crê foi inventado muito antes de Jesus, pelos povos pagãos. Está tudo lá: os simbolismos, a estória de Jesus, a Virgem Maria… A propósito, Maria em hebraico significa “senhora, soberana”, e não “mar” como você disse. Assim sendo, metade da sua explanação perde sentido (peço que você verifique as suas fontes de informação antes de prover argumentos falhos). As demais correlações feitas por você (gestação = líquidos e etc…) são, desculpe-me a expressão, ridículas! Ora, Nathália, seguindo-se essa linha de raciocínio podemos levar o tema para onde quisermos! Qualquer correlação pode ser elaborada! Uma baleia, por exemplo, também passa por uma gestação e também vive na água, nos mares. A baleia, seguindo-se o pensamento, passa a ter o mesmo valor de Jesus. A água das chuvas permeia a terra e uma certa parte é alojada em lençóis freáticos, abaixo da terra. Usando-se a velha máxima que prega a existência de um Inferno sob os nossos pés, e sabendo-se que não existem dados referentes “a que profundidade”, podemos postular que o Diabo pregado pela igreja foi batizado na água provinda dos céus do seu Deus! Você consegue perceber o absurdo dessa lógica? A água é o constituinte elementar de praticamente tudo o que nos cerca, ou seja, podemos levar o assunto para qualquer direção mantendo esse raciocínio falho.

      Você chama meu texto de subjetivista. Eu o chamaria de realista. Os fatos que embasam meu pensamento estão expostos no cotidiano, basta querer enxergar. Sim, o cristão é um alienado, pois acredita em uma linha absurda de pensamentos, a mesma linha que prega a existência de um homem que contabilizou cerca de 900 anos de vida (Matusalém), mas prefere não abrir sua mente para fatos consistentes. É covarde, pois ao invés de enfrentar seus medos, suas limitações, seu desconhecimento e suas frustrações esconde-se atrás de uma carapaça religiosa, jogando o peso da responsabilidade para um Deus que não existe. É hipócrita, pois prega a moral e os bons costumes dentro de uma igreja que alicia menores, promove a homofobia e estimula a morte de milhares “em nome de Deus” (ou você vai querer me convencer com outro trabalho estúpido que a Idade Média foi um mar de rosas?). É ignorante, pois até enxerga a realidade racional, mas a ignora propositalmente, por temer um ser que não existe. É infeliz, pois quando deveria estar aproveitando sua única forma de existência concreta, condena sua mente à morte, penalizando consequentemente seu corpo.
      Há algo aqui escrito que não seja um fato irrefutável?

      Seu último vídeo postado diz que os ateus não possuem alicerces que sustentem seu raciocínio, mas eu gostaria de lhe perguntar: e a lógica religiosa, onde se faz presente? Sua única “prova” é um livro imundo reescrito e reeditado durante toda a história, que acabou se tornando o “pai das mentiras e contradições”. Os ateus não se baseiam em um livro: baseiam-se no universo, na ciência!
      Eu posso provar pra você que o conceito de Adão e Eva é totalmente incoerente (sou totalmente amparado pela genética), mas você consegue me mostrar onde estava Deus enquanto milhares de cidadãos dos povos pré-colombianos iam sendo dizimados pelos “catequizadores”? Fica difícil, não é mesmo?
      Hoje já podemos decifrar o genoma e criar células artificiais, isso é fato. Você consegue provar que Deus criou a primeira célula humana? Onde está a “assinatura” do criador?
      As células-tronco, em casos selecionados, conseguem devolver a habilidade da deambulação àqueles restritos às cadeiras de rodas. Deus consegue?
      Um papa, que é manifestação máxima de Deus na Terra, faz vistas grossas para o Holocausto, e você ainda consegue acreditar que realmente exista um Deus? Ou pior, que a igreja representa esse ente?
      O seu Deus diz que devemos sofrer pelo Seu filho. Você não acha que mais de dois mil anos de sofrimento não são o suficiente, até mesmo para o mais sádico dos Deuses? Afinal, que pecado foi esse que a humanidade cometeu? Seria o “absurdo” de ter comido uma mação oferecida por uma serpente nos jardins do Éden? (já assisti capítulos de desenhos animados menos imaginativos…)
      Se Deus é uma unidade, por que você não passa a crer também no Deus hindu, no Deus do budismo, do xintoísmo, do islamismo e em todos os deuses pagãos?
      Por que eu deveria crer em Jesus, e não em Maomé? Como irei saber qual dos dois tem a razão, se para cada mártir há um deus diferente?
      Se Deus existe, e o melhor local é certamente ao seu lado, por que você não comete o suicídio e vai ao encontro de seu criador esperar o “juízo final”?
      Vou encerrar essa discussão utilizando o mesmo artifício que você, ou seja, usando as palavras daqueles que tem mais conhecimento do que eu.

      “Deus deseja prevenir o mal, mas não é capaz? Então não é onipotente. É capaz, mas não deseja? Então é malevolente. É capaz e deseja? Então por que o mal existe? Não é capaz e nem deseja? Então por que lhe chamamos Deus?” – Epicuro

      “A ciência está aberta à crítica, que é o oposto da religião. A ciência implora para que você prove que ela está errada – que é todo o conceito – enquanto a religião o condena se você tentar provar que ela está errada. Ela te diz ‘aceite com fé e cale a boca’.” – Jason Stock

      Você ainda acredita que os ateus não tem “alicerces para segurar o telhado”?

      JESUS CRISTO – O MITO COPIADO DOS PAGÃOS (DO FILME “ZEITGEIST”)
      Parte 1/3
      Parte 2/3
      Parte 3/3

      Comentário por jorgesneto — 24/05/2010 @ 3:24 am | Responder

  6. Olá,
    em primeiro lugar, gostaria de enaltecer que o fanatismo religioso já provocou muito mais desgraças e tragédias que o ateísmo, palavras do próprio filósofo Voltaire.
    E parafraseando ainda o mesmo filósofo, sugiro ao brilhante autor deste blog que não vale a pena discutir com homens que não se rendem às verdades mais evidentes. Não são homens, são pedras. Tem instinto para amar a verdade, mas é apenas um instinto.
    Acho muito bacana a discussão e a divergência de opiniões, é uma excelente forma de aprender tanto em conhecimento quanto em convivência com o diferente.
    Porém, querida Natália, acredito que não devemos impor nossas crenças ou valores, mas respeitar as diferenças e conviver com elas sem que tenhamos que nos converter à opinião alheia!
    Abraços a todos

    Comentário por Karla — 24/05/2010 @ 7:08 pm | Responder

    • Cara Karla;

      Parabéns. Ao contrário dos religiosos cegos, você consegue enxergar a realidade por trás do delírio. Como você diz, é impossível discutir com quem nega a realidade. A divergência de opiniões é um dos motores que movem o mundo, pois se a humanidade fosse unânime, viveríamos num marasmo insuportável. Afinal, parafraseando o mesmo gênio que você citou, “quando não há, entre os homens, liberdade de pensamento, não há liberdade.”
      Pessoas como a Nathália vivem na escuridão, mas um torço para que um dia sejam iluminadas voluntariamente pelos lampejos da razão e da lógica.
      Muito obrigado pelo comentário, sinta-se sempre à vontade para visitar e opinar quando julgar necessário.

      Comentário por jorgesneto — 24/05/2010 @ 8:23 pm | Responder

  7. Cara Nathália;

    Desisto. Você realmente não conseguiu entender o que eu tentei escrever. Estou tentando mostrar o mundo para alguém que, por opção, não enxerga. De tudo o que eu escrevi, você conseguiu se ater somente a única coisa que não veio de minha mente, o vídeo Zeitgeist. Concordo, podem haver pontos que necessitem de investigação maior no documentário, mas o vídeo serviu apenas de ilustração. Minha linha de raciocínio não se resume a esse documentário ou a qualquer outro livro ou filme, meu pensamento é baseado na vida, na ciência, na lógica, na razão! Como você pretende continuar me chamando de subjetivo, caçoar do meu racionalismo, se você não possui argumentos? Assisti a todos os videos que você me passou, os quais, para mim, não passam de amontoados de mentiras desconexas! Mas não quero debater isso, pois esses vídeos não são seus, certo? Por esse motivo, o último comentário que você postou aqui, e que só continha mais três links para vídeos do Youtube, foi deletado. Você quer saber o motivo? Porque eles não falam nada! Porque não consigo saber o que você, que veio até aqui, quer dizer! Sempre aceitarei seus comentários, desde que você tenha a decência de argumentar com o seu conhecimento, com FATOS, não especulações. Mostre-me uma prova real, incontestável, da existência de Deus e eu abdico de escrever em meu blog!
    Você insiste em dizer que eu atacos os religiosos. Certo, é a sua opinião, mas assim como todas as opiniões provindas de religiosos fanáticos, é uma opinião errada. Vocês, cristãos, sentem-se atacados quando não possuem mais respostas, ou quando o seu Deus não consegue mais fornecer a “força” pela qual vocês tanto clamam para “combater os inimigos”. Ateus não atacam, ateus contestam com argumentos válidos.
    Tudo bem, já percebi que não importa o quanto eu fale, você não irá enxergar. É uma pena. Resta-nos seguir nossas cadeias de pensamentos, mas com a ligeira diferença de que você se agarra em algo que não existe, e eu sigo aquilo que é provado.

    Comentário por jorgesneto — 24/05/2010 @ 8:11 pm | Responder

    • Desculpe se pareceu que estava “caçoando” sobre a sua razão. Não vim para “converter” ninguém, nem falar sobre uma religião específica. Poderia colocar informações sobre o Judaísmo ou outra crença, enfim.
      Como você mesmo disse, você acredita apenas no que pode ser provado ( cientificamente, creio ). Seu questionamento sobre a inexistência ou existência de “Deus” é de cunho filosófico, a ciência não se preocupa com isso, não tem isso como objeto de análise. Por isso, você não pode esperar que se comprove ou não algo nesse sentido.
      Realmente a ciência não provar que algo não existe, pois a ciência trabalha recolhendo dados. A ciência não pode provar coisas como “Deus”, conceitos metafísicos como ( existem outras “mentes” além da minha ) e que o mundo externo é real, crenças éticas ( não se pode provar pela ciência que o que os cientistas nazistas fizeram nos campos de concentração foi algo mau / bom em comparação com o que fazem os demais cientistas ocidentais. ), julgamentos estéticos ( conceitos como belo/ feio ), etc.
      Agora sim, este é realmente meu último comentário. Desculpe qualquer tipo de infortúnio.

      Comentário por Nathália — 24/05/2010 @ 9:22 pm | Responder

  8. Acho que aqui o “condenado” é o senhor e não o “cristão”, pois está a caracterizar de maneira tão cobarde e ignorante o que é ser cristão e a sua própria maneira de agir que não consigo encontrar qualquer outro tipo de adjectivação ao seu “bonito” discurso que não seja uma afronta a quem livremente escolhe ser cristão….
    Há que não confundir um cristão sério com um “trafulha”, pois na vida nem todos somos boas pessoas não é? Gostaria de saber como consegue descrever tão bem algo ou alguém, neste caso a pessoa devota, quando o senhor próprio se confessa, através do seu dogmático discurso, ateu, ou estou enganado?
    As suas palavras não vão de encontro a razão e sobretudo à verdade, apesar de se tentarem servir de ambas…
    Vão sim de encontro a um ataque “cego” contra a religião católica e, principalmente, contra o “cristão”…
    Não estou a dizer que a religião é perfeita ou não, porque nada o é, mas não gosto de extremos de nenhuma parte, o equilíbrio é algo mais sensato a encontrar creio. Gostava de saber quem odeia quem afinal… Depois deste texto tão bem construído que ainda assim não deixa de constituir um ataque pessoal a quem de livre vontade é cristão, sabendo esse ser interpretar o caminho que segue ou não…não é a si que lhe compete determinar. Muito menos se ele prescindiu da sua humanidade ou não. Estou certo que de Religião, seja ela qual for, o senhor percebe muito pouco. É verdade, “Deus” não é uma pessoa, homem-invisível, ou algum ser a que o senhor o queira equiparar.

    Comentário por Ernesto — 11/06/2010 @ 3:36 pm | Responder

  9. Pena que Deus não é argumento, é fato.
    E fato é explicitado por milagres e revelações.
    Qeum não viu um, realmente não tem como dizer que Deus não existe,mas quem viu, não pode negar nem que venham com “argumentos”.
    Falar a verdade, quando um ateuzinho diz pra um crente “questionar”, ele não quer que realmente questione, quer apenas que conclua que Deus não existe.

    É como sempre digo, Deus incomoda demais pra um ser que não existe. Faz até os ateus fazerem sites somente pra tentarem SE convencer disso. Porque a nenhum religioso convence.

    Comentário por Albert R. Carnier Guedes — 12/06/2010 @ 9:09 pm | Responder

    • Caro Albert;
      O ateísmo surgiu como uma resposta para as contradições religiosas. Essas proposições desprovidas de sentido completo constituem o alicerce das religiões, independentemente do Deus que se segue. Esse argumento é tão verdade que o seu comentário é um exemplo claro e “objetivo” da contradição religiosa. Você diz que Deus é fato, não argumento, e em seguida você diz que fatos são “explicados” por milagres e revelações! Ora, por favor! O vocábulo “fato” pode ter várias interpretações, mas obviamente a conotação aqui utilizada é a de “algo cuja existência pode ser constatada de modo indiscutível” (vide Dicionário Houaiss), e um milagre é algo que segue um caminho totalmente oposto a essa ideia, já que a definição do vocábulo é “ato ou acontecimento fora do comum, INEXPLICÁVEL pelas leis naturais”. Você, além de cometer um erro de julgamento, está cometendo um grande erro semântico.
      Você conhece alguém que viu Deus? Por que tal indivíduo não compartilhou esse “fato” com a comunidade internacional? Afinal, se Deus é um ser supremo, piedoso, justo, por que iria escolher somente uma pessoa para mostrar sua verdadeira face? Isso não é manifestação deífica, Albert, isso se chama devaneio.
      Um “ateuzinho” não impõe a verdade a ninguém. Desprezamos profundamente os propagadores inescrupulosos do evangelho, e certamente adotamos uma postura oposta, apenas divulgando dados que fazem com que mentes inertes exercitem a nobre arte do raciocínio. Não impomos a ninguém a inexistência de Deus, mas qualquer mente pensante chega a essa conclusão sem que seja necessária a imposição da ideia.
      Deus incomoda, realmente. Qualquer mentira que adquire as proporções que o embuste religioso adquiriu incomoda profundamente aqueles que caminham nos trilhos da razão.
      Ateus não precisam se convecer: ateus já tem convicção da realidade, apenas tentamos compartilhar a informação. A absorção da informação fica por critério do leitor.

      Comentário por jorgesneto — 20/07/2010 @ 7:00 pm | Responder

  10. Olá… meu comentário não é sobre o texto em si,mas sobre algo que vejo muitas pessoas afirmarem: “Não existe uma verdade UNA e ABSOLUTA”, tudo é relativo. Será que essa frase não acaba negando a própria realidade? Pois na realidade, só existe uma verdade, que é UNA, ABSOLUTA e UNIVERSAL.
    Todos nós, seja brasileiro,americano,chinês,espanhol, captamos a mesma e única imagem na realidade objetiva. Um exemplo é o abaixo. Qualquer pessoa, em qualquer lugar do mundo, vai dizer que é um cavalo ( a palavra pode mudar -horse, cavalo, caballo, mas a ideia é a mesma ). Um relativista ao afirmar que a verdade não é una,consideraria verdade também se uma pessoa falasse que esse ser da figura é um macaco e não um cavalo.Como o relativista diz que a verdade depende do que a pessoa pensa, então se uma pessoa afirma ser o Napoleão Bonaparte, isso é a verdade?

    Comentário por Eline — 30/06/2010 @ 1:26 am | Responder

  11. Se tiver interesse nesse e em outros assuntos, veja no youtube os vídeos “O problema da verdade” e “Antropoteísmo: a religião do homem”. Deixo alguns livros..

    BUHIGAS, Guillermo. Eugenesia y Eutanasia: La conjura contra la vida. Madrid: Sekotia Ediciones, 2009.
    GRANT, Robert M. La gnose et les origines chretiènnes. Paris: Seuil, 1964.
    HANS, Jonas. The Gnostic Religion. Boston: Beacon, 1963.
    JENKINS, Philip. The New Anti-Catholicism: The Last Acceptable Prejudice. New York: Oxford University Press, 2003.
    PÈTREMENT, Simone de. Le dualisme chez Platon, les gnostiques et les manichéens. Paris: PUF, 1947.
    ROUGEMONT, Dennis de. L’amour et I’Occident. Paris: Plon, 1939
    SCHOLEM, Gershom G. Major Trends in Jewish Mysticism.
    _________ . Jewish Gnosticism, Merkabah Mysticism, and the Talmudic Tradition.

    Comentário por Eline — 31/08/2010 @ 4:42 pm | Responder

  12. O banco dos parasitas pederastas acaba de ser denuciado por lavagem de dinheiro …
    Qdo alastrou-se a conivência banco embaixo e igreja em cima, e domicílios e a vida civil completamente vigiados por ‘firmas de ‘segurança’, a propriedade privada, a vida de cada cidadão na Sociedade ficou completamente à merê dos amancomunamentos de pulhas que cismaram de impingir uma teo-pulhítica podre sobre nações, e sobre a liberdade do indivíduo da espéice humana. Mas a hora é agora … Vamos ver o que vai sobrar … porque qdo os gritos irromperam, esgarçando a boca de infantes e adultos esprimidos pela covardia, a Terra foi torcida como um pano sujo …

    Comentário por Haddammann — 21/09/2010 @ 2:21 pm | Responder

  13. Bancos embaixo, igrejas em cima … e ‘firmas’-de-“segurança” espalhadas nos pastos …

    Precisamos afastar os infantes dum deus com que não se brinca; e precisamos afastar-nos da sua ‘segurança’, e da ferradura que prega em nossos pés, e da fumaça de demência que embota nossa cabeça.
    Começamos a descobrir que deus e seu coleguinha da eternidade forjam o mal para passarem os dias se divertindo em nos usar.
    Mas quando as intempéries nos assolam temos de recorrer aos helicópteros, à Internet, às vacinas, e à nós mesmos, se quisermos sobrepujar as dificuldades e sobrevivermos. Essa é a dura realidade; que não é ruim, só é o que é.
    Dificuldade alguma nunca nos assustou, sempre avançamos até conseguirmos suficiente consciência para erigirmos uma Sociedade de compartilhamento de talentos, trocas de funções e gozo com nossas competências.
    Mas agora, fiquem atentos …
    Fiquem sabendo o risco a que estamos expostos ante a desfaçatez de desgraçados com carinhas ‘de anjos’ impregnadas de temores.
    A estatística dum negócio indicava um determinado número de clientes. E tentava-se comunicar com alguns que haviam feito pedidos dum produto; mas nada de se conseguir. Até que alguém acenou num blog lá não sei das quantas pra que se prestasse atenção.
    De repente a cx de e-mails é limpada, ficando sem importantes contatos. E o que pior ainda acontece? Que podia arrebentar todo o comércio. Pedidos sendo cancelados. Clientes pagando-os à vista, e o controle do negócio não recebendo notificação alguma da transação, mas o cliente recebendo notificação de pedido cancelado; ocorrendo desvio descarado, feito com conivência dentro de organizações que devíamos confiar. Uma transação que corre na surdina. Que poderia acabar com a reputação de qualquer empreendimento.
    Podemos mandar danar-se esse troço de moral e respeito, voltados para reprimir sexualidade; isto só serve pros que se desbocam com essa ladainha de “ética” dessa ‘nova’ ‘ordem’, que nos impuseram sob crenças imundas. Nossa consciência tem a ver com escrúpulo, caráter; isso é que faz o nosso prumo. E nisso nossa Educação já faliu, com toda a bobozeira de seu temor divino imposto. Depois de ver padrófios com cruzes paradas na frente de portão, e pastutos pederastas asseclados por uma escória nociva também forcejando para derrubar portões de pessoas que foram roubadas e estupradas por eles mesmos … Ah! … Depois de coniventes dentro de instituições “;sérias” impingirem a professores, e demais pessoas, ficar na Sociedade sem que ninguém chegue perto delas para saber os fatos, sem que eles imponham perseguição insana a qualquer um; ainda vem essa, da nossa completa perda de privacidade e autonomia sobre nossas propriedades individuais. Então, se pensam que vão destroçar cada labor humano que não se submeta à roubalheira e à desfaçatez sórdida dessa pulhice, estão enganados a espécie humana nãos e retrai indefinidamente com medo.
    A Internet está na berlinda, e quem nela nos vigia?
    Vermes ficam adirando nos comentários dos blogs e sites; enquanto sofistas vão levando os incautos ‘rebeldes’ a serem ‘dóceis’, e ‘comportadinhos’, os canalhas vestem uma roupa esburacada de humanos civilizados e ficam cuspindo suas hipocrisias nos espaços de liberdade que antes tentaram de tudo pra arrebentar. Correntezinhas ‘abençoadas’, ou com ‘ameaças bobinhas’ de pragas, ou com alarmado ‘salvamento de cachorrinhos’, colhem o fluxo (e-mail) de nossos amigos.
    Não vamos mais cair nessa artimanha de ‘conselhos’ de segurança nos bairros e nas cidades, que disfarçam a criação de matilhas de pústulas desocupados, para zanzar nos espreitando e entregando-nos em bandeja de prata nas mãos de pulhas; para fazer os homens de bobões encurvados,dependentes de bagos de covardões com pés de galinha, e de línguas de micróbios mandadas que se danaram na vida.

    Comentário por Haddammann — 23/09/2010 @ 10:43 am | Responder

  14. Eu,um simples operário emigrante na Holanda desde 1964 e já velhote(87anos),direi como ateu que sou,que o Deus do biblico-judaico-cristão,
    afinal é o Padre Eterno do Velho Testamento ou seja o Deus Javé dos Judeus,o tal com quem Moisés falou e dêle recebeu as Tábuas da Lei,
    que são os Dez Mandamentos dos biblico-judaico-cristãos.Como tal o Novo Testamento está relacionado com o Velho.Mas se,segundo a Igreja ensina,Deus é um Ser invisível com todos os seus predicados num grau infinito,não pode ter necessidade seja do que fôr.Então porque criou o Mundo e Adão e duma costela dêste,fez Eva?Depois colocou-os no Paraíso Terreal mas proibíu-os de comerem o fruto da árvore da ciência do Bem e do Mal,o que Adão e Eva não cumpriram,sendo por tal pecado,expulsos do Paraíso Terreal.Ora um Deus que é infinitamente perfeito,não pode ou não deve cometer imperfeições ou injustiças.Deus que é infinitamente sábio,sabia de antemão que Adão e Eva não cumpririam a sua ordem,e àlém disso Êles não pediram para serem criados.O caso de Eva ter sido tentada pelo Diabo disfarçado de serpente,também não se pode admitir que sendo Deus o único Criador de tudo o que é visível e invisível,também criou o Diabo e o Inferno.Ora isto é uma imperfeição e Deus, segundo ensina a Igreja,é infinitamente perfeito,portanto não pode cometer imperfeições.E como também é imutável,não pode mdar como um catavento,pois mais tarde arrependeu-se de ter criado o Mundo e quiz destruí-lo com um Dilúvio.No que respeita a ser infinitamente perfeito,sua Obra,o Mundo,não são perfeitos pois de vez em quando,vulcões,terramotos,furacões e tempestades com chuvas torrenciais e raios fulminantes,
    matam muitos dos Seres vivos que não cometeram o pecado original que se estendeu a toda a humanidade e o Padre Etermo quiz,segundo ensina a Igreja,que seu «filho»viesse ao Mundo para sofrer e morrer,imolado como cordeiro de Deus(agnus dei)para remir o pecado original e desagravar assim a ira divina de seu Pai.Ora um Deus assim tão tirano,cruel,caprichoso,vingativo,só pode ter sido criado pelo Homem à sua imagem e semelhança.Que Deus é êsse assim tão mau/tão cruel,tirano e sanguinário/que se porta pior que um marau/e mata o filho no Calvário?!

    Comentário por José G.Cravinho — 23/12/2011 @ 11:46 am | Responder

  15. Meu caro, você foi muito corajoso ao escrever este artigo, nele encontramos o posicionamento de muitos homens, até mesmo alguns cristãos, Sugiro algumas reflexões a respeito de Jesus Cristo.
    1 – Jesus não fundou nenhuma igreja e nenhuma religião.
    2 – Sua mensagem tem como principio o amor, a tolerância e a fé, (neste ponto não existe razão, a fé é realmente e contraditória, costumo dizer que é uma aposta ninguém voltou da sepultura para atestar se a salvação é verdade, porem ninguém voltou para desmentir)
    3 – É sábio criticar os cristãos desprezando o conhecimento bíblico? Uma vez que a regras são interpretações particulares da mensagem de Jesus, a visão de um determinado grupo s respeito do assunto.
    4 – Jesus lia os rolos nas sinagogas, não fundou uma igreja diferente por não concordar com o judaísmo.
    Poderia levantar outras questões, mas é meu objetivo não é realizar um estudo exaustivo, ( kkkkkk), seria muita pretensão de minha parte, pois a matéria é complexa, envolve religião, historia , ciência, filosofia entre outro assuntos.
    Ser cristão é ser evangélico, ou apostólico, ou católico, ou teólogo? A mensagem de Jesus se sobrepõe a questões religiosas e irrelevantes ?
    Porque muitos são chamados, mas poucos escolhidos. Mateus 22:14 acredito que a seleção não esta baseada simplesmente na aparecia ou na filosofia, ela se dá no julgamento da verdade que esta intrínseca na mente e no coração do homem.

    Comentário por Marcio Oliveira — 28/11/2012 @ 9:31 am | Responder

  16. Deixo para reflexão

    Trecho de palestra “As sombras do humano”
    http://www.youtube.com/watch?v=88UeQ8OZstE

    Ciência e ocultismo
    http://www.youtube.com/watch?v=-UXVyL_7aB8

    Evolucionismo não é ciência
    http://www.youtube.com/watch?v=v3RMLu0en0Q

    http://www.youtube.com/watch?v=5eRKA8uAf4Q&list=UUTH0jOZPnX5PPOWbE0ehhJQ&index=1

    Comentário por Paulo Roberto — 04/04/2013 @ 8:07 pm | Responder


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: