Revendo a Religião

05/04/2010

A (Verdadeira) Face de Cristo

Novas discussões acerca da legitimidade do Santo Sudário estão sendo erigidas. Recentes recursos tecnológicos buscam esculpir virtualmente a face daquele que muitos crêem ser o procurador terreno do todo-poderoso homem invisível, o messias que veio à Terra com o santo intuito de abocanhar mentes inertes para alicerçar o início de um império repugnante, desprezível, execrável.

O Santo Sudário, que não passa de um artefato fabricado pela própria igreja na Idade Média, pincela falsamente sobre um rico tecido de seda (ora, vejam, um pobre pregador, que renegou quaisquer riquezas, teve como última vestimenta um lençol do mais rebuscado tecido disponível!) os rascunhos de um homem que traria mais paz à humanidade se tivesse encarcerado seus ideais egoístas em sua mente perversa. As palavras proferidas por esse tirano serviram como espadas nos incontáveis conflitos religiosos que os próprios cristãos assistiram calados, temerosos, inundados pelo temor que o seu Deus impunha àqueles que ousassem seguir rumo contrário, em busca de uma solução pacífica.

Cristo domou seus animais com destreza: ofereceu-lhes conforto irreal, criando fictícias ilusões e levando suas mentes à morte racional.

Esse falso messias soube extrair a essência humana de cada mente com uma habilidade ímpar, tal qual um perfumista experiente extrai a alma do perfume da matéria bruta. Homens que poderiam ter revolucionado o modo de vida hodierno, caso tivessem deixado seus pensamentos fluírem por um caminho conexo, foram perdidos, sucumbindo aos encantos pérfidos de promessas irreais.

Jesus Cristo não foi um salvador: foi um executor, um carrasco. O homem, como julgamos conhecê-lo, não é constituído integralmente de carne e osso, mas também da habilidade de raciocínio, e privar o homem de sua mais doce habilidade é pior do que executá-lo lentamente com requintes de tortura corporal. E era – como dizem os crentes – “com alegria no coração” que o “salvador” reduzia homens inteiros a frações imundas.

Nada é mais deprimente do que a morte racional.

Onde está a salvação no ato de subjugar outrem, forçando um caminho que não é escolhido, mas imposto? Isso não se chama salvação, mas sim alienação! Cristo serve como o exemplo de idoneidade, paixão, perseverança, empatia, sofrimento e glória a ser citado prontamente por qualquer cristão, mas seu real significado é engenhosamente abscondido: Cristo é um embuste, uma fonte de discórdias, a origem do “pecado”, a semente do ódio, a obra-prima com lugar de destaque no museu da nescidade!

O Santo Sudário é uma prova cabal do pensamento vil pregado por Cristo: a engambelação. A própria Igreja Católica não crê na veracidade do objeto, uma vez que até mesmo arcebispos contemporâneos da sua descoberta julgavam o lençol-sujo-de-Cristo um ultraje, um objeto de adoração desprovido de valor religioso! Mas como sempre, a Igreja encontrou no sudário uma fonte de veneração por parte dos tolos fiéis, podendo, então, fazer uso da mentira para atrair mais mentes errantes para “o lado negro da força”.

Provas científicas remetem o Santo Sudário à Idade Média, ou seja, um período treze séculos posterior ao nascimento de Cristo. Esse fato isolado já fornece informação suficiente para silenciar qualquer réplica cristã, mas os cristãos costumam empregar a palavra “milagre” sempre que se deparam com situações onde o “conhecimento” cristão não pode suprir as dúvidas. Obviamente, é mais fácil maquiar a verdade com as tintas da necedade!

Entretanto, o que mais me intriga é a busca constante por uma imagem definitiva da face de Cristo. Se alguma pesquisa provasse que, ao invés do homem de feições sutis, olhos claros e cabelos angelicais, Jesus tivesse sido um negro, com olhos escuros e cabelos desgrenhados, será que os fiéis atuais continuaram amando a sua figura? Não, não continuariam! Prefeririam esconder o fato, mascarando a descoberta, e então voltariam a idolatrar a mesma imagem estereotipada de um Cristo menoscabável. Prova de que os cristãos, além de ignorantes, conseguem ser dotados de um profundo preconceito descabido.

Infelizmente, de nada adianta descobrir as verdadeiras feições de Cristo, se a sua verdadeira face poucos conhecem: a face do ódio, do egoísmo, da segregação, da condenação. Os seus traços, hipoteticamente, poderiam até estar de fato nas fibras do Santo Sudário, mas suas idéias certamente continuam flagrantemente estampadas nos rostos de religiosos inescrupulosos que consomem mentes errantes, perdidas, levando-as diretamente ao encontro da condenação racional.

Anúncios

7 Comentários »

  1. É realmente uma falta de vergonha desses opiófagos que não param de forjar provas,para iludir os menos esclarecidos. O Santo Sudário não passa de uma santa mentira. Jesus sequer existiu.

    Comentário por Teodorio de Queiroz — 05/04/2010 @ 9:59 pm | Responder

    • Caro Teodorio;

      Parabéns pelo pensamento. Encontrar pessoas com ambos olhos abertos em uma era de dominação e condenação racional é algo admirável.
      O Santo Sudário é mais um embuste que deve ser queimado junto com os segredos imundos da igreja.
      Obrigado pelo comentário, sinta-se sempre à vontade para comentar.

      Comentário por jorgesneto — 06/04/2010 @ 9:43 pm | Responder

  2. Pois é, cara. O mundo ia ser muito melhor se a população do império romano nunca tivesse adotado uma religião que, pelo menos em teoria, prega a paz. Os germânicos, também, ficariam numa situação muito menos atroz, né?

    Mesmo quando eu era ateu, eu admitia que os ensinos de Jesus eram um passo a frente na jornada entre a barbárie e o humanismo. Pra falar a verdade, o humanismo que temos hoje, mesmo que embrionariamente, só surge no Novo Testamento. Se você ler mesmo Aristóteles e Platão vai ver que eles só estão preocupados com o bem estar de alguns indivíduos e, no máximo, com o bem-estar geral da sociedade. A preocupação com o bem-estar do próximo enquanto preceito só se espalha pela Europa com o cristianismo (estou falando em termos de cultura; não digo como cristão. Do ponto de vista da fé, não acho que seja bem assim).

    Francamente, não entendo como as pessoas não enxergam isso. Se você tiver paciência, eu gostaria de conhecer melhor seu ponto de vista.

    Se não, fica o meu abraço.

    Comentário por Vinícius Staub — 03/04/2011 @ 10:42 pm | Responder

    • E quanto ao perdão?
      Você consegue perdoar?

      Comentário por mizu — 29/07/2011 @ 12:40 pm | Responder

    • eu te procurei com esse intuito, mas você se negou em me conceder uma chance em fazê-lo.

      Comentário por mizu — 29/07/2011 @ 12:42 pm | Responder

  3. Agora, se não for como vocês estão dizendo, o bicho vai pegar.
    Pensem nisso, ou melhor, deixa pra lá, vamos ver no que dá.

    Comentário por Nascimento — 30/09/2011 @ 9:24 pm | Responder

  4. Uma outra coisa, eu vivo me perguntando sobre muitas coisas e gosto de ouvir diferentes opiniões sobre tudo que ninguém sabe responder ao certo.
    Achei o documentário da pesada!
    Os caras fizeram um baita trabalho e definitivamente, nenhum outro material na terra tem tanto poder de juntar ciência e religião como o sudário.
    Mesmo que muitos contestem, ainda sim terão que aceitar a idéia de que a gravura no sudário é muito avançada até para os dias de hoje e que ninguém naquela época possuia tamanha tecnica para pintar algo assim e os cientistas já descartaram de vez a hipótese de ser uma pintura e afirmam que essa gravura só poderia ter sido feita por algum tipo de radiação, porém não existe aparelho na terra capaz de fazer isso, o que levou os ciêntistas pela 1° vez a aceitarem a ideia de que um evento paranormal único pode realmente ter acontecido onde aquele corpo estava sepultado, ou sejá, é de se pensar.
    Ultimamente eu tenho pensado muito sobre recentes descobertas da ciência, como por exemplo, a teoria que tenta explicar o universo paralelo, teoria “M” e as questões mais profundas da fisica quantica e sei que isso na verdade, vai aproximar mais ainda o homem de Deus, mas não o Deus capitalista que muitos usam como ferramenta de extorção e manipulação e sim um ser realmente superior que controla todas as frequencias do universo, afinal de contas, ninguém pode negar que elas existem só porque não podemos ve-las, sabemos que elas estão lá e que a menor parte do nosso corpo, não é mais massa e sim vibração, ou seja, frequências e partindo deste mesmo principio, acredito que um dia a coisa ficará mais clara ou ainda mais confusa, mas alguma coisa esta acontecendo, tenho certeza.

    Comentário por Nascimento — 30/09/2011 @ 9:50 pm | Responder


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: