Revendo a Religião

25/02/2008

Um Mito Chamado Deus

Michel Onfray, filósofo e escritor francês, foi muito feliz ao escrever em seu “Tratado de Ateologia” que o homem fez de Deus seu espelho dotado da capacidade de formar uma imagem invertida. Para esse ente magnífico, foram atribuídas todas aquelas capacidades inatingíveis pelos humanos, tais como imortalidade, onipotência, onisciência, onipresença, infalibilidade e outros incontáveis adjetivos incompatíveis com a física e a psique humana.

Deus foi construído para dominar uma massa populacional com ritmo de crescimento exponencial, para fornecer uma forma de escape para as desilusões, frustrações, abdicações e, principalmente, para a ignorância, qualidade inerente e incorrigível dos fiéis religiosos.

Explicações extraordinárias para o que não sabemos são criadas desde os nossos nascimentos. Somos ludibriados com vários contos da carochinha; somos afastados do conhecimento primordial para entrarmos em contato com uma nascente de informações falsas, absurdamente impossíveis e amplamente difundidas; somos penalizados com a adoração eterna a um ser imaginário antes mesmo de termos consciência de quem somos.

Deus é uma comodidade, uma forma mais simples e direta de dizer que não se conhece nada além do que as igrejas e seus pregadores querem que seja sabido. É uma farsa, um fantoche, um oásis num deserto inóspito, habitado por vidas que juram ter encontrado a fonte rejuvenescedora, sagrada, mas que acabam se enterrando em areia movediça, afastando-se da luz da sabedoria. E a sabedoria não é simplesmente um vocabulário bonito, de difícil compreensão, ou a citação de famosos que sucumbiram há séculos, mas, também, a incorporação dos fatos cotidianos e a sua interpretação como algo necessário, porém banal, sem atributos divinos, toques celestiais ou moderações deíficas.

A criatura divina é uma forma de chegar mais rápido ao nada, é a construção de algo invisível, é o nascimento de alguém que não foi concebido. Várias religiões confeccionaram diferentes deuses, adequando-os aos seus costumes, mas sempre com o intuito de manipular os crentes, forçando-os, consciente ou inconscientemente, a fazer atos diversos para a obtenção de qualquer espécie de benefício, desde a agregação de novos territórios até o extermínio de mentes divergentes.

Guerras existem, enquanto que a paz é pura demagogia. Pessoas felizes existem. Pessoas perfeitas, entretanto, não. A força de vontade e a auto-sugestão são fatos, ao passo que os deuses são estórias.

Vi na televisão pessoas atribuindo a cura de suas “enfermidades” à intervenção divina. Senti-me enojado, pois, à medida que os pobres ingênuos narravam seus casos fantásticos, um “missionário” hipócrita sorria com descaramento, deixando escapar em suas feições um espírito de deboche e descaso revoltante. Porém, contraditoriamente, os “curados” só faziam agradecer ao “missionário” e ao Deus todo-poderoso. Além de estarem garantindo o certificado de ignorância-mor, esses fiéis acabam simultaneamente subestimando-se, diminuindo o poder de suas mentes a um tamanho infinitesimal. Talvez tudo o que esses coitados necessitam é um pouco de auto-estima, e não um ente imaginário.

Por que numa situação adversa, em um caso de morte iminente, sempre recorremos a Deus? Porque fomos ensinados assim. Se a cultura eclesiástica tivesse adotado um animal, como o tigre branco, para ser o todo-poderoso, oraríamos “ó, tigre branco, salvai-me desta situação horrível!”, e, caso fôssemos salvos, atribuiríamos a salvação ao magnífico e piedoso tigre branco. Isso, a meu ver, chama-se indução coletiva de pensamento. Um fato é repetido tantas e tantas vezes que acaba sendo incorporado como normal, crível, impassível de correções, “divino”. Se toda noite, antes de dormir, você ouvir a mesma música, você ficará sempre com ela em seu pré-consciente. Caso a música seja trocada por uma oração, uma crença, você acabará acreditando, pois a sua mente acabará perdendo a batalha e cederá espaço para essa nova realidade, mesmo que ludibriosa.

A palavra Deus já está tão difundida que até mesmo ateus utilizam-na em seu cotidiano sem ao menos perceber. São expressões coloquiais, mas que demonstram o poder que a palavra adquiriu com o passar dos séculos, tais como “ai, meu Deus!”, “pelo amor de Deus!” ou “Deus é pai!”. Você pode vocalizar uma expressão dessas sem ter o menor “contato” com Deus, mas, mesmo sem querer, você é tido como um crente, um fiel ao todo-poderoso, pois Seu nome está sendo pronunciado (consequentemente, invocado).

Acho que a sociedade tem muito a aprender com a igreja. Nunca vi alguma instituição possuir tanta noção de marketing e propaganda como aquela que distribui a palavra divina. Também nunca vi um psiquiatra submeter à sua mente um paciente em um espaço curto de tempo como fazem os pregadores. Vendedores qualificados são meros aprendizes quando comparados aos procuradores de Deus. Administradores experientes sentir-se-iam de volta às cadeiras da faculdade se fossem submetidos a uma palestra de administração de bens ministrada pelos papas, bispos e demais membros do alto clero. Médicos abdicariam de sua profissão, pois nada seriam se comparados ao poder inigualável de cura concedido por Deus aos “missionários”. Advogados julgariam inúteis as suas leis, se equiparadas às leis divinas defendidas pela bíblia. Mas, “graças a Deus”, nem todos seguem à risca as palavras publicadas e defendidas pelos procuradores da fé, ou o caos mundial não seria mensurável.

Você quer algo para crer? Creia em você, em suas qualidades e capacidades, ao invés de seguir idéias pré-estabelecidas. Ao menos se você não obtiver sucesso em tudo o que faz, saberá que foi por suas próprias limitações, e não pela vontade de um ser imaginário.

Deus não existe, e eu consigo conviver tranqüilamente com a verdade. Minha verdadeira esperança é que as pessoas abram os olhos e consigam separar o real do mito. Até lá, Deus vai continuar vagando nas conversas, nas igrejas e nas guerras. Meu azar é que, como diz o dito popular, “um mito nunca morre”.

Anúncios

72 Comentários »

  1. Num mundo cada vez mais contaminado pelos vírus da fé, disseminados por exploradores sem escrúpulos, encontrar artigos, bem escritos, bem fundamentados e esclarecedores, como os que aqui se encontram é um privilégio.
    Tudo que se faça em prol do esclarecimento, da verdade e desmistificação de crenças ancestrais é um serviço, necessário, para bem da humanidade.
    Bem-haja!
    Parabéns!

    Comentário por 1atento — 27/02/2008 @ 7:38 pm | Responder

  2. Uma grande verdade.
    Parabens pelo post.
    Evito sempre esse tipo de expressões que mencionou, quanado falo com alguém.
    A religião é o verdadeiro “Big brother” da humanidade.

    Comentário por space_aye — 29/02/2008 @ 5:23 pm | Responder

  3. Bom o artigo. Consistente. Não concordo com a expressão ‘um mito chamado deus’. A palavra mito está descontextualizada. Deveria ser ‘uma mentira chamada deus’. Mito=Narrativa.

    Comentário por betharr — 09/03/2008 @ 7:45 pm | Responder

  4. Não concordo nem um pouco com o artigo vc´s são um bando de idiotas que acham qe o mundo é tudo expicado cientificamente !

    Comentário por ana luisa — 28/07/2008 @ 3:44 pm | Responder

    • Ana Luisa, esta é justamente a beleza da escrita: nem todos concordam com o conteúdo exposto. Realmente não espero que alguém que entrega sua vida aos braços do acaso vá concordar com minhas idéias, mas tenho esperanças que você um dia venha a fazer parte do nosso “clube de idiotas”, isto é, presupondo-se que você parta da idéia de que a racionalidade e o conhecimentos são qualidades idiotas.
      Obrigado pelo comentário!

      Comentário por jorgesneto — 06/04/2010 @ 11:04 pm | Responder

      • Caro Jorge, o texto foi muito bem escrito, mas quanto a fundamentação ressaltada pelos comentários anteriores ouso discordar, inclusive não houve nenhum argumento científico para corroborar a narrativa. Pareceu-me mais uma descrição de uma opinião sobre Deus sem a preocupação de fundamentação.
        O texto é uma crítica bem elaborada e elegante,mas uma opinião semelhante a daqueles que foram criticados,apenas uma questão de fé, sem uma abordagem no mínimo genealógica para demonstrar em caracteres científicos argumentos que desconstruam a existência Divina, parabéns.

        Comentário por Rodrigo Souza — 03/12/2010 @ 2:12 pm

      • Acredito q a Bíblia seja um manual de sobrevivencia a discucao sobre a existência de Deus e in relevante,pois todos sabemos q ele não existe. Mais pra q queremos provar isso aos outros,ondi se chega com isso? Simplesmente porque somos livre para ir e vir,não ha oq nos impeca de fazermos oq nos der na mente,ou ha? Sim ha! As leis ! Se rouba,vai preso,se mata vai preso… Na bíblia “Deus” da a Moisés os 10 mandamentos,e oq diz? Não mata e n roube! Isso seria só uma parte q esse maravilhoso manual tem a nos oferecer. Se o mundo vivece de acordo com esse manual;teríamos pouquíssimas barbaridades no mundo.

        Comentário por ricardo moure — 06/07/2014 @ 4:04 am

    • Comentário por Nicole — 08/10/2013 @ 4:10 pm | Responder

  5. O homem é moralmente semelhante ao criador, tem capacidade de fazer suas próprias escolhas, inclusive a de não acreditar nEle.

    Comentário por denise — 11/11/2008 @ 3:33 pm | Responder

    • Cara Denise;

      Parabéns, você é a primeira pessoa religiosa que conseguiu entender que pessoas diferentes podem pensar diferente. Seja sempre bem vinda ao blog. Obrigado pelo comentário.

      Comentário por jorgesneto — 06/04/2010 @ 11:07 pm | Responder

  6. Vai queimar no fogo do inferno se não se arrepender e pedir perdãoa DEUS.DEUS existe mesmo que vc não creia Nele. Crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo. Atos 16.31 DEUS tenha misericórdia de ti.

    Comentário por JULIANA — 12/11/2008 @ 1:09 pm | Responder

    • Cara Juliana;

      Não consigo entender, por mais que me esforçe, a força que toma conta dos religiosos, levando-os à devoção cega. Você ama um Deus que, por ser tão “piedoso”, atiraria alguém ao fogo simplesmente por essa pessoa discordar de suas premissas! Mas que benevolência é essa? A meu ver, isso se chama tortura, inclemência, ou até mesmo – fazendo-se uso da ironia – “abuso de poder”.
      Você exige um pedido de perdão de minha parte. Porém eu lhe pergunto: devo pedir desculpas? Por quê? Devo pedir desculpas ao seu amigo invisível por fazer uso de minha racionalidade, por buscar explicações plausíveis e não fantásticas para os acontecimentos corriqueiros, por ter fé no conhecimento, e não no imaginário? Desculpe-me, pedir desculpas para alguém que não existe é o mesmo que mergulhar profundamente na insanidade.
      Já que você crê tão cegamente em um salvação provinda de seu amigo imaginário, peça-lhe que salve sua mente, antes que seja tarde.
      Obrigado pelo comentário!

      PS: sinta-se à vontade para treplicar.

      Comentário por jorgesneto — 06/04/2010 @ 11:06 pm | Responder

      • Olá! boa noite.]
        Estive notadamente lendo alguns dos comentários referidos ao tema.
        bom, penso que a religião é uma das literaturas mais fantásticas já criadas pelo homen pois leva o homen a trabalhar numa causa utópica longe de sua realidade e racionalidade contaminando a todos sem perceber que a religião acoberta tudo que o homen está enfrentando atualmente de ruim,pois, o conhecimento do homen a cada dia que passa torna-se ínfimo. O homen se preocupa de mais com a nossa origem e para onde iremos sem se dar conta da responsabilidade que temos com a vida.em nome desse deus criados pela humanidade muita gente já se eriqueceu,já morreu,já matou a troco de algo que profundamente a maioria das pessoas pensa que acredita.Prova disto é que os que procuram a deus sempre estão em um moento difícil,sempre precisando de algo,ou quando estão emotivamente abalados. Ou seja,quando não entedemos algo que acontesse de ruim em nossa vidas.
        A crença que temos de que tudo se resolverá por um criador que julgam não ser criado por ninguém veda os nossos olhos para o que deixamos de observar:um ser que perdoa punindo;um ser que cria um demônio mas que não tem poder de destruí-lo;um ser que cria o livre arbítrio mas só serão salvos os que nele crêem;nos deu a vida e temos que agradecê-lo em ritual de orações que não termina nunca; quantos deixaram de viver a realidade vivendo no chamado mundo de privações,destratando outras pessoas pelo modo como são.As pessoa quando vão falar de deus ou mesmo defendê-lo nunca têm certeza do que estão dizendo.Vamos abrir a cabeça gente;vamos ser dominadores,vamos gerenciar nossas vidas com mais racionalidade,passamos a vida esperando alguém para nos ajudar e nos esquecemos que somo nós mesmos que criamos esses mitos.Vamos ser dono de nossas cabeça e deixarmos de ser zumbis.

        Comentário por artur meira duarte — 29/05/2011 @ 11:20 pm

    • Esse deus que pessoas mal preparadas psicologicamente e sem cultura e altamente influenciáveis e desprovida de uma personalidade consciente e sempre seguida do analfabetismo são as vítimas pode verificar numa dessas sessões de besteiróis conhecida com culto evangélicos que 99% dos presentes são no máximo semi-analfabetos e analfabetos que nem o próprio nome sabem escrever.Na minha cidade eu tenho uma vizinha que não conhece sequer uma letra do alfabeto e vai à “igreja” com uma bíblia nas mãos. Já é de todos sabido que os menos cultos são facilmente manipulados por um pastor que tem certeza, que o “deus” que ele anuncia nunca existiu. o principal objetivo dessa farsa covarde é o DÍZIMO essa exploração espúria e ridícula para um deus que não precisa de nada, mas que tonará a vida do dito arauto de “deus” muito mais confortável. Quantos médicos, advogados, engenheiros, empresários, frequentam a sua igreja? Se disser que essa classe de gente vai lá está mentindo O mundo só será melhor quando essa farsa divina for radicalmente extinta. DEUS É UMA MENTIRA! . .

      Comentário por Ademar Queiroz — 19/12/2014 @ 9:14 am | Responder

  7. Li com atenção o conceito que Michel Onfray elaborou sobre Deus. Na verdade, ele não é o primeiro e nem será o último que empreendeu tamanha confrontação como o Todo Poderoso. O que me consola é que a inerrante Palavra de Deus assevera que há de chegar um dia em que “todo joelho, dos que estão nos céus, e na terra e debaixo da terra, hão de se dobrar diante de Deus e toda língua há de confessar que Jesus é o Cristo para a glória de Deus Pai”.
    Deus nunca precisou ser provado, Ele é e ninguém mais com Ele. Ele é único. Ele é o Senhor. Ele é o Soberano dos reis da Terra. Ele é Onipresente, Onipotente e Onisciente. Ele é o Deus imutável. Ele é Eterno, auto-existente. Ele é o Princíio e também o Fim. Antes Dele não houve nenhum outro deus e depois Dele nenhum outro haverá. Ele é Santo, Justo e Fiel. Ele é o Deus Criador de todas as coisas. Ele é o que dá vida e tira a vida. Ele é o que fere e O que sara. Espero que todos os que lerem este comentário suscinto não somente se converta ao Deus Todo Poderoso, como também entendam e saibam que se não se arrependerem, estarão correndo o sério risco de deparar-se com Ele no grande dia do Juízo Final quando cada um há de ser julgado de acordo com suas obras e todo aquele cujo nome não for encontrado no Livro da Vida será lançado no lago de fogo que arde com fogo e enxofre. Tenho dito.

    Comentário por Natanael Santos — 13/11/2008 @ 2:02 pm | Responder

  8. Olha eu não preciso de idéias ou vãs filosofias pra acreditar ou deixar de acreditar em Deus. As experiencias que eu tenho tido com este ser sobrenatural é inexplicável e que segundo a biblia só o homem espiritual poderá entender, pois o homem material só vê o que está a sua frente. Eu respeito a sua opinião, mas não aceito como norte para minha vida. Seria muita pretensão minha dizer que Deus não existe uma vez que ele me formou e me deu um folego de vida embora não sendo merecedor de tudo isso. Para completar o seu plano, deu seu unico filho na cruz do calvário para me dar a certeza de vida eterna, então eu não posso de maneira nehuma abandonar esse Deus maravilhoso. Querido ele é tudo pra mim porque ele é unico e é pela sua grande misericordia que eu e vc estamos vivendo nesta terra. As vezes a mente do ser humano se cauteriza pelos inumeros problemas que este mundo através de Lucifer nos impõe, mas quando a gente chega ao pleno conhecimento da verdade tudo fica diferente, tudo se renova. O salmista Davi dizia: A quem tenho eu no céu além de ti e na terra alguem que eu não ame tanto como tu Senhor.
    Ficarei aqui orando por você para que Deus se revele para você e faça de você um ser humano mais feliz e que um dia a graça de Deus seja abundante em sua vida. Como disse apostulo Paulo: Onde abundou o pecado superabundou a graça.
    Que Deus em seu infinoto amor te abençoe e te ilumine. Conte pra Deus os teu medos, as tuas decepções, os teus recalques, as tuas tristezas e tuas desilusões. Jesus está do teu lado meu amigo e ele quer te ouvir.
    Felicidade é o que te desejo.

    Comentário por Abenil Favacho — 16/11/2008 @ 1:03 am | Responder

  9. O filósofo Michel Onfray estará amanhã dia 19 de Março no Institut franco-portugais
    a apresentar um livro seu e outro de georges palante

    http://www.ifp-lisboa.com/

    Horácio

    Comentário por Horácio — 18/03/2009 @ 12:43 pm | Responder

  10. quem nao acredita em deus e um ser humano perdido e nao tem nada a ganhar,pode ser ate rico aqui na terra ,mais pobre no ceu
    eu quero ver um ser humano ressusita um homem morto comprovado,um homem fazer as arvores e colocar frutos ,eu quero ver um homem fazer um arco iris corido ,eu quero ver um homem fazer uma criatura tao bem feita com a capacidade que deus tem……………….homem incredolo que tudo tem de provar ate que os seus ohos nao ver.deus fica tao com a humanidade reagindo de maneira insoportavel.

    Comentário por karen regina — 22/03/2009 @ 5:09 pm | Responder

    • Cara Karen Regina;

      Como você definiria um ser humano perdido? Perdido seria aquele que crê em seu íntimo, em suas qualidades (e até mesmo em seus defeitos) e que enfrenta as adversidades com plena confiança em sua mente e nas verdades realmente confirmadas ou é aquele que prefere fechar os olhos, deliberadamente, tentando achar uma saída em meio a escuridão das “trevas” da igreja? Aquele que segue os preceitos científicos (soluções que surtem efeito quando o seu Deus resolve sair para um passeio) não tem nada a ganhar ou aquele que se fecha num mundo ignorante e simplesmente absorve tudo que é dito não tem nada a ganhar?
      O homem não precisa provar nada: somos ciente de nossas limitações, mas não buscamos respostas ridículas para aquilo que não conhecemos – ainda.
      Ah, aproveitando o “tema”, eu queria ver o seu Deus devolvendo os movimentos a um paraplégico, uma coisa um pouco mais útil do que criar arco-íris, não acha?
      Obrigado pela visita!

      Comentário por jorgesneto — 06/04/2010 @ 11:08 pm | Responder

  11. Nunca poderemos provar a não existência de Deus, pelo menos não por laboratórios.
    Cabe então a nós, sair do tão destrutivo senso comum, que a cada dia escravisa mais as pessoas.
    Um dos meios de se estabelecer o senso crítico é lendo este, tão bem feito, documento esclarecedor
    Obrigado por publicá-lo.

    Comentário por Carlos — 01/05/2009 @ 12:07 pm | Responder

    • Carlos;

      Obrigado pelas palavras, é reconfortante perceber que “não estamos sós”. A igreja inunda o senso comum, contaminando-o com podridões dispersadas em suas palavras pobres e desconexas, criando uma população mentalmente inerte, que nem ao menos busca explicações para aquilo que não conhece, e, quando ao meio desse universo contaminado encontramos pessoas como você, sabemos que o que nós ateus escrevemos e defendemos como ideologia não está sendo em vão.
      Obrigado pela visita, sinta-se sempre à vontade para visitar o blog e opinar sempre que quiser.

      Comentário por jorgesneto — 06/04/2010 @ 11:12 pm | Responder

  12. Querido escritor você tem toda razão ao dizer que “Deus não existe”, pois uma coisa para vim a existir, tem que ser criada.Deus não foi criado, Ele apenas É, ” Eu Sou”.Portanto a minha oração é que o Espírito Santo de Deus, te revele um dia quen é o Deus Todo Poderoso, o Grande Eu Sou, o Deus Imutável, O Rei dos reis, O Senhor dos senhores.O Deus que não existe, porque Ele simplesmente É.

    Comentário por Dayani Drumont — 07/05/2009 @ 2:51 pm | Responder

    • É inexistente. Frases decoradas e bonitinhas nao provam nada e nao fazem existir. Continua nao existindo esse deus.

      Comentário por Abbadon — 12/02/2011 @ 9:33 pm | Responder

  13. A religião tem um poder fantástico sobre as sociedades. Se você se declarar ateu durante uma entrevista de emprego, provavelmente jamais será chamado para trabalhar porque soaria assim: sou desprovido de valores morais… Por outro lado, se formos aos presídeos e penitenciárias espalhados pelo Brasil, veremos que a minoria dos encarcerados é formada por ateus. Entendo que algumas igrejas têm trabalhos sociais relevantes. Entendo, também, que a maioria delas pratica crimes que estão previstos no Código Penal. Porém, não podemos criticar as pessoas que acreditam em “deus” e estão felizes com isto.
    Eu não tenho a menor dúvida que “deus” é a invenção mais extraordinária que a mente humana produziu. Enquanto o homem existir, “deus” também existirá! Não adianta ir de encontro a isso. Já está arraigado nas pessoas. O perigo que vejo por trás disso são os fundamentalistas, os fiéis cegos e os devotos exarcerbados que utilizam de meios cruéis para impor seus dogmas porque o histórico das religiões é violento. Então, meu amigo, conforme-se. Se não for na paz, vai na guerra! (E o fogo do inferno lhe espera: quer crueldade maior que morrer queimado?!)

    Comentário por Charles — 24/05/2009 @ 10:58 pm | Responder

  14. Nunca lí algo tão merecedor de aplausos
    Parabéns pela a rica incubência dessa bela obra literal.
    Como seria Mágico, vivermos em um mundo onde o avanço mental e lógico de como tudo funciona, nos ajudasse a ver as formas de como ela realmente são.

    Comentário por Charles Bruno — 13/08/2009 @ 12:48 am | Responder

  15. Respeito sua opnião.

    Os filosofos gregos diziam que somos metade Animais, por termos extintos, e metade deuses por podermos não nos submetendo a eles.
    Temos a imperfeição impregnada em nós, seu texto iluminista é uma aberração.
    Deus existe sim, e Ele teve muito foi cuidadoso ao criar o mundo pra nós.

    Observem o zelo de Deus, pra quê quatro estações do ano? Poderiamos ter apenas um céu cinza? Pra que essa infinidade de alimentos? Ele fez frutas, hortaliças, carnes dos mais variados tipos, praias.
    Ele poderia ter feito uma Ração, mas não, queria que tivessemos o prazer de comer.

    Ele fez com carinho imensurável, pra mim e para você!
    Não sei escrever tão bem quanto você, mais uma coisa eu sei, Deus fez tudo isso, por que não queria criar criaturas que de fabrica o amassem, e sim quiz criar filhos e o reconhecessem em tudo que há, por que dEle por Ele e para ele são todas as coisas.

    Como uma pessoa inteligente que sei que você é, reconheça seu pensamento errôneo e agradeça seu criador pelo dom da vida.

    Tudo de bom e fique com Deus.

    Comentário por Hudson — 04/09/2009 @ 5:36 pm | Responder

  16. olha so vc fala bonito,sabe induzir e convencer muitas pessoas q naum tem dominio propio e q naum foram libertas das ilusoes e coisas passageiras deste mundo,acredito q pra escrever isso vc foi inspirado pelo propio satanas,espero q um dia vc possa ser liberto e vou orar pela sua vida pq acredito q nada e impossivel para DEUS,aquele DEUS q vc acha q naum existe,ele existe sim e ele e sim o todo poderoso o rei dos reis,mas e claro existe DEUS e deuses,nao posso obrigar e nem induzir ninguem a acreditar q DEUS existe mas posso orar pra q venha ter libertaçao nessas vidas assim como JESUS CRISTO um dia me libertou e me fez enxergar a realidade do mundo,e graças a DEUS hj eu sirvo a o meu DEUS todo poderoso q SALVA,CURA E LIBERTA.
    E gracas a DEUS hj nao me deixo levar por qualquer coisa dita pelos servos de satanas,mas cada um tem sua opniao e respeito a sua q DEUS te abencoe e tenha misericordia da sua alma,e um dia vc vai ver e contemplar q DEUS existe ai sim vc vai clamar e pedir misericordia a o DEUS q vc pregou q nao existe.

    Comentário por lorena — 16/09/2009 @ 9:34 am | Responder

  17. infelismente o homem passou a amar as trevas e naum acreditar no criador..

    aquele que se diz ateu se prepare..

    pois aquele que no dia final naum tiver o nome no livro da vida sera lançado no inferno de fogo

    Comentário por ronald — 06/04/2010 @ 9:11 pm | Responder

    • Caro Ronald;

      Infelizmente o homem criou Deus, e a partir de então, os religiosos passaram a amar as trevas da ignorância, enganação, manipulação e eterna condenação.
      Não me preocupo com o “dia do juízo final”. Sabe o motivo? A razão é simples: se tal absurdo acontecer (e, por favor, ele NÃO vai acontecer, esse é só mais um conto de terror do livro dos burros), basta ter dinheiro, e meu “espaço celestial” estará garantido. Você acha absurdo o que estou falando? Releia a história, lá você vai encontrar informações sobre as indulgências… é, esse filme já foi visto!
      Viva a sua vida, Ronald, não se entregue voluntariamente à morte racional. (insisto sempre neste termo, pois é o que considero como o centro da religiosidade).
      Obrigado pelo seu comentário, sinta-se sempre à vontade para visitar e comentar.

      Comentário por jorgesneto — 06/04/2010 @ 9:56 pm | Responder

    • Ameacas como essas so provam mais ainda que esses seus amiguinhos imaginarios nao existem. Isso é o amor cristao pelo proximo !

      Comentário por Abbadon — 12/02/2011 @ 9:47 pm | Responder

  18. Que deus é uma personagem de ficção (diria que é uma personagem diabólica, se o diabo não fosse também ele uma personagem de ficção), entra pelos olhos dentro. Fiquei estarrecido ao ler os disparates dos seus comentadores religiosos. Como pode ainda haver pessoas tão falhas de senso critico ao ponto de aceitarem como verdadeiras as histórias fantásticas e absurdas impingidas pelas igrejas.
    É caso para dizer: Que Deus tenha piedade deles, porque eles, não sabem o que dizem. Direi melhor: não sabem o que pensam.

    Comentário por Diamantino — 01/06/2010 @ 12:58 pm | Responder

  19. Algo vejo como interessante. Se não houvesse tanta gente tentando convencer o outro de sua verdade particular( principalmente os evangélicos )não haveria tantos debates em vão.
    Enquanto as pessoas debatem a verdade “verdadeira”,muita gente passa fome morre de frio entre outras coisas.
    Em meio a isso comprova-se algo segundo minha opinião:
    _As formigas e os ricos em suas sociedades se ajudam isso só para resumir a lista de exemplos. E enquanto isso a gente debate por vezes acaloradamente,pela aurora da racionalidade ou pelo delirio religioso.
    E digo mais: amar ao próximo como a si mesmo,devia se mostrar em ações práticas e não só em pregação; e ser um exemplo a ser seguido por fazer de seus atos a confirmação do que vcs evangélicos pregam. Não é o que vejo nos crentes santarrões que se vê aos montes por aí e pra finalizar:
    As fomes e as desgraças que ai estão são culpa de nossa inércia pois se nos ajudassemos mais e não vivessemos nos preocupando só com nós mesmos,e evitassemos as desculpas que alguns menos abastados usam que o que ganha nunca da pra nada estaríamos praticando o segundo maior mandamento bíblico. E isso não se vê nos dias de hoje não é mesmo

    Comentário por Ewerton de oliveira castro — 04/07/2010 @ 1:20 pm | Responder

  20. Durante toda a vida acreditei que existisse um Deus. Porém, ao vêr um parente próximo no leito de morte clamando a deus e jesus cristos e a todos os santos pela sua saúde cheguei realmente a conclusão de que nada existe. Eu questionei. Onde esta deus que não acóde essa pessoa que tanto clama?. Isso foi a gota de água que confirmou a minha duvida. Agora só acredito na ciência para a cura de qualquer doêça. Não adianta nada clamar. Ou toma remédio ou encara a morte.

    Comentário por Ayrto Jaguanharo Carvalho — 06/08/2010 @ 2:21 pm | Responder

    • ” Porque não me envergonho do Evangelho porque é poder de Deus para salvação de todo aquele que crê; primeiro do judeu, e também do grego. Porque no Evangelho a justiça de Deus se revela, de fé em fé, como está escrito: mas o justo viverá pela fé.” Romanos 1. 16-17

      Comentário por Ana — 30/08/2010 @ 3:51 pm | Responder

  21. No início, a perspectiva do homem se estendia pouco além da próxima refeição e do acasalamento.
    Milhões de anos depois, tendo dominado a agricultura e o fogo, construido abrigos e trabalhando em conjunto, ele floresceu e começa a pensar. O “quebra-cabeça” da vida nasceu.
    Então, o homem percebeu coisas incríveis que não compreendia. Estações, o movimento das estrelas e a biodiversidade. Sem poder explicá-las, ele concluiu que um ser todo-poderoso devia ser o responsável. A religião nasceu.
    Eventualmente, uma dessas religiões que se tornou muito poderosa foi o cristianismo, a igreja católica romana. O “quebra-cabeça” da vida, de acordo com a igreja, possuía uma única peça: “Deus”.
    No ano 1500, era considerado um fato que nós éramos crianças especiais de “Deus”, vivendo no seu lugar especial, e que tudo girava ao nosso redor, que os corpos celestes eram esferas perfeitas que circulavam a terra em círculos perfeitos. Instituições de ensino superior não questionavam nada disso porque temiam serem consideradas hereges, e a igreja punia seriamente os hereges.
    Então veio Copérnico. Ele achou que faria muito mais sentido e a matemática seria mais simples, se a terra orbitasse o sol, mas a igreja não queria saber disso. Afinal de contas, a bíblia diz que “Deus” parou o sol por um dia. Copérnico, não querendo ser punido seriamente, calou-se. Outro intelectual, o frade Giordano Bruno, concluiu que Copérnico devia estar certo, e não se calou. Foi considerado herege e punido seriamente.
    Por volta de 1600, Galileu apareceu com o telescópio e o seu grande poder de observação. Ele também percebeu que as coisas não se encaixavam com a opinião da igreja, e agora podia ver as discrepâncias claramente. Ele mostrou que a terra realmente girava em torno do seu próprio eixo e do sol, que a superfície da lua não era lisa, e numerosas outras contradições no pensamento da igreja. Naturalmente isso enfureceu roma.
    Em 1633, um inquisição fez Galileu negar suas “teorias hereges” para não ser punido seriamente. Mas Galileu mostrou que de fato o “quebra-cabeça” tinha muitas peças, elas se encaixavam muito bem, e “Deus” seria colocado no fundo do “quebra-cabeça”, a medida que a ciência preenchia as lacunas. Tornou-se aparente que quando a ciência contrariava a religião, a ciência eventualmente provava estar correta.
    Kepler preencheu as lacunas do movimento planetário. Newton adicionou muitas peças sobre o movimento, demonstrando leis que descreviam com precisão desde a gravidade até as órbitas. Felizmente Newton nascido após Galileu, a igreja já havia estado errada tantas vezes que a ciência pôde avançar.
    Em 1859, Darwin revelou sua longa teoria de pesquisa sobre o desenvolvimento da vida, no livro “A Origem das Espécies”. Ela colocou muitas peças no “quebra-cabeça” de forma a fazer sentido para cientistas em todo o mundo. O “quebra-cabeça” estava muito mais parecido com ciência do que com superstição.
    A teoria nuclear, a relatividade de Einstein, e telescópios cada vez mais potentes, forneceram ainda mais peças, que se encaixavam muito bem, reforçando umas às outras.
    Evidências para um universo antigo acumularam-se, técnicas de datação radioativas foram desenvolvidas para datar rochas e fósseis, e concordavam com as informações dos astrônomos e as previsões da evolução.
    Por volta de 1950, a teoria da evolução foi considerada indispensável, então a genética apareceu e deu a ela um grande reforço, com técnicas que se tornaram tão confiáveis que passaram a ser usadas como provas em tribunais. Evidências de muitas áreas de pesquisa jorraram sobre o “quebra-cabeça”, ancaixando-se com perfeição. Todas convergindo para mostrar que a vida evoluiu ao longo de quatro bilhões de anos.
    E mesmo assim, contra todas essas evidências, o fundamentalismo religioso se apega a crenças arcaicas, disfarçando religião como ciência. Eles alegam que o universo só tem alguns milhares de anos, apesar das incomensuráveis evidências. Eles alegem as lacunas que ainda restam no “quebra-cabeça” como razão para descartar tudo, confiando em textos religiosos como guia ao invés do método científico.
    Nós só podemos esperar que a razão eventualmente vença, e que a humanidade supere a superstição que cega tantos para o óbvio. Só então, nós poderemos continuar a tarefa de realmente completar o incrível “quebra-cabeça” da vida.

    Comentário por GHERFISSON — 08/09/2010 @ 4:15 am | Responder

  22. leiam “nao tenho fé suficiente para ser ateu”;D

    Comentário por lana — 28/10/2010 @ 2:02 pm | Responder

  23. Olá, eu gostaria de parabenizar pelo ótimo texto, foi direto e objetivo. Parei para ler uns comentários aqui, e eu fiquei embabacado com a mentalidade dos que acreditam em um Deus. Continuam fazendo uso de textos biblicos para tentar defender as suas crenças, aff! Eles insistem em pôr “fatos” da bíblia como coisas realmente existentes,deve ser por isso que ocristianismo vem entrando em colapso no mundo todo, as pessoas já não são tão tolas, claro que, estes sempre existirão! Mas eu digo que as pessoas de agora, já se questionam, não engolem as coisas sem qusitioná-las mais, e a Internet está aí, as pessoas estão tendo mais acesso as outras infomação, além daquela que é dada sem escolha a ” religiosa “

    Comentário por Tom 100% ateu — 21/12/2010 @ 12:03 am | Responder

  24. APRESENTAÇÃO Este livrete, fugindo aos parâmetros de normatização propositalmente, conta como a minha terceira obra literária. Seu conteúdo resultou das experiências acumuladas durante minhas passagens pelas mais diversas religiões e somadas às pesquisas na literatura da “religiologia”, em suas diferentes fontes. O ataque terrorista contra o Pentágono e o World Trade Center – Estados Unidos – ocorrido em 11/09/2.001, tendo como pano de fundo divergências religiosas, e o interminável conflito, cruento, entre israelenses e palestinos nutrido pelos mesmos motivos; levaram-me a fazer uma introspecção em âmbito de Brasil. Pressente-se, pois, que, mesmo de forma lenta e velada, em nosso país, vem-se desenhando um quadro semelhante ao que antecedeu às décadas de guerra civil entre católicos e protestantes, na Irlanda do Norte. Como se não bastasse a violência arreligiosa, da qual a sociedade brasileira tornou-se refém. Aliás, além do embate na Irlanda, o ódio entre católicos e protestantes já deflagrou contendas de maiores proporções, a exemplo da guerra dos 30 anos, iniciada em 1.618 pelo império Austro-Húngaro, que grassou por quase a Europa inteira. Na Inglaterra, a rainha Elizabeth I aprisionou e mandou decapitar Mary Stuart, rainha católica da Escócia, sua prima e rival (1.587), pelo simples fato da vítima professar uma fé diferente. Dentre outros episÓDIOS. Inobstante, além da unidade em Cristo, pelo menos em um capítulo da história, as duas derivações estiveram muito próximas de um ponto de convergência: ao largo do regime nazista, na Alemanha, o papa PIO XII fora acusado de não dar um “pio” contra as crudelidades de Adolf Hitler. Pelo lado dos EVANGÉLICOS, vejam o que descreve o historiador e professor da Universidade de Colúmbia-EUA, Fritz Stern: “Hitler construiu para si a imagem de ser o ESCOLHIDO, no sentido bíblico da palavra. A insistência dele em um poder e um mistério, quase do outro mundo, tinha um grande apelo, o que lhe deu a sensação de um salvador revelado pela providência divina. Essa sua convicção, após a derrota na primeira guerra, ganhou apoio fervoroso, principalmente, dos PROTESTANTES, por demais nacionalistas”. OBS: As decifrações, decodificações e referências bíblicas aqui reportadas, não representam necessariamente as convicções doutrinárias do autor. Tais elementos foram inseridos, neste escrito, para consubstanciar a coisa dita, e devido a minha certeza de que: as mentes crédulas são povoadas de superstições, fobias, simpatias, fantasmas…..enfim, perfeitas caixas de ressonância para todas estas quimeras. Os conteúdos dos Subtópicos de 6.1 a 6.6 foram compostos por apócrifos captados da memória escrita e oral. T Ó P I C O S 1.DEUS AINDA TERCEIRIZA NOSSO DESTINO? 1.1 Existe Deus? 1.2 Como assim? Explique! 1.3 E como surgiu Deus? 1.4 Se Deus é fruto do imaginário, então, quem fez o homem para imaginar Deus? 1.5 O que você acha da Bíblia? 1.6 Pastores fazem milagres? 1.7 Por que as Seitas Neocristãs têm arrastado tantos seguidores? 1.8 Alguns adeptos, após a conversão, têm suas vidas melhoradas e permanecem fiéis! 1.9 Por que nunca se encontrou substitutos para Deus e Religiões? 1.10Qual é o sentido Bênção? 1.11E a Santíssima Trindade? 1.12Dos boatos sobre Jesus, qual você acha mais verossímil? 1.13Teça seus comentários acerca do Sofrimento de Jesus! 1.14Existe Diabo? 1.15Cite os nomes de alguns Ateus Famosos! 2.DEUS ORDENA A SUPERLOTAÇÃO DA TERRA 2.1 A Síndrome da Superpopulação 3. A FACE “CAPETALISTA” DO PROTESTATISMO 4.COMO AS CRENÇAS LESAM AS MENTES 4.1 Psicose Divina 4.2 Navegando na Infernet 5.A SAGA PELO PODER 6.TROCA DE FARPAS ENTRE RELIGIÕES 6.1 A Meretriz da Bíblia já está entre nós? 6.2 Aos Farejadores de Católico Vacilante 6.3 Código Subliminar de EDIR MACEDO (acróstico) 6.4 Etimologia Satânica de Martinho Lutero 6.5 Cabala Evangélica prova que o Papa é a Besta 666 6.6 Louvado seja o DÍZIMO (acróstico) 7.O PROTESTANTISMO VAI DESAPARECER POR AUTOFRAGMENTAÇÃO? Pinheiro-MA 1. DEUS AINDA TERCEIRIZA NOSSO DESTINO? Respostas de vários e-mails enviados a Benigno Dias por internautas brasileiros e doutros países, participantes de fóruns de debates e chats na internet, tendo como tema Deus e religiões: 1.1 Existe Deus? – Como crer em um Deus, se a própria bíblia, Sua suposta palavra, afirma que Ele nunca foi visto por ninguém? (João 1:18 e 6:46; 1º João 4:12 e 1º Tm. 6:16). Apesar de as contradições no Antigo Testamento: (Ex. 6:3; 24:9-11; 33:11; 33:20 e 33:23; Num. 12:8; Deut. 5:4 e 34:10; 1º Reis 11:9). Também teria Deus aparecido em sonho a Abimalec, (Gen. 20:3). Assim era Deus definido por Santo Agostinho: “Se alguém me pergunta o que é Deus, eu sei; mas, se me pergunta, eu já não sei. Eu te procurava lá fora – e eis que tu estavas dentro de mim”. (As Confissões – Livro Décimo – Cap. 6). Todavia, de tanto ser cultuado, Deus se impregnou como uma “tatuagem” em nosso Ego. Quando o cristão está diante duma ameaça iminente, automaticamente ele exclama: “Meu Deus!” Do mesmo modo, se ele dá uma topada, explode: “Porra!” O chefe da propaganda nazista do III Reich, Joseph Goebbels, asseverava: “Uma mentira repetida mil vezes, acaba-se tornando verdade!” Quer dizer: Deus existe sim, mas no domínio do inconsciente coletivo! 1.2 Como Assim? Explique! – Toda vez que surge uma idéia, a qual consegue contagiar várias mentes, a essa espécie de adesão massificante dá-se o nome de inconsciente coletivo. Lá, na zona rural, costuma-se dizer: “Tudo que tem nome, existe!” Isso, aliás, é o princípio básico duma doutrina grega denominada de conceptualismo, a qual tinha como oponente a corrente nominalista. São Tomás de Aquino, famoso conceptualista, instituiu dentro do pensamento conceptualista a dicotomia: res cogitans (o pensante, o sujeito, o homem) e res extensa (o pensado, o objeto, a coisa). Mais tarde, a física quântica de Max Plank veio-se contrapor a essa passividade do objeto em relação ao sujeito. Pois, segundo a concepção quantista, entre observador e observado há uma interrelação (complementaridade), ou seja: ambos se influenciam reciprocamente. Daí que se fala: “Cada cabeça, uma sentença!” Significa dizer que se pode aplicar esta máxima também para o caso anterior: o conceito que cada pessoa depreende de algo observado tem valor subjetivo e relativo. Voltando ao inconsciente coletivo, atualmente, a parapsicologia já sabe: todas as vezes que uma ou muitas mentes, em estado alterado de consciência, vibrarem fortemente uma idéia fixa (monoideísmo), tal idéia acaba-se “vivificando”, tomando corpo – (Parapsicologia através de perguntas e respostas – J. Dragaud – Pag. 47). Esse é um caso típico de projeção do inconsciente (telergia), exteriorizado através de uma imagem tênue, nomeada de escotografia ou filmagem do pensamento. Ex: certa vez, o Programa Domingo Legal do SBT exibiu um caso ocorrido em Belém-PA – um jovem fora morto no trânsito, durante a sua missa de sétimo dia, ali estava o rapaz “materializado” – evento constatado pelas câmeras de TV, que captaram a silhueta do falecido. “Naquela ocasião, dentro da igreja, havia alguém profundamente emocionado, fixando a figura do extinto. Porém, vale ressaltar: o fenômeno da escotografia não se produz além de 50 metros donde está a mente alterada”. Explicou na oportunidade o parapsicólogo Oscar Quevedo. 1.3 E como surgiu Deus? – Deus foi originado pela impotência do homem ante a imensidão e complexidade do universo, e se mantém “vivo” graças à impossibilidade de se contraprovar o improvável, bem como pela força do marketing (sedução das massas). Um exemplo de marketing, como sempre, favorável a Deus (paramnésia), é o seguinte: um automóvel, portando nove ocupantes, bateu e matou oito dos passageiros. O sobrevivente, sentindo-se um privilegiado do além, saiu espalhando aos quatro ventos: “ Eu escapei por puro milagre de Deus!” Todavia, aos oito vitimados, não lhes foi dado um minuto de ressurreição para enfim desabafarem: “Deus foi injusto para conosco!” Defunto não fala, é como obra subterrânea, não rende votos aos governantes, porque não é visível. Tudo começou com os deuses funcionais. A cada fonte natural, atividade humana etc., era consignado(a) um(a) deus(a). Oceania era a deusa dos mares; vênus, da beleza; marte, da guerra; hórus, da vingança e assim sucessivamente. Considerando-se minúsculo perante o complexo universal, o homem acreditava que, atribuindo um deus a todas as coisas, para ele, indomáveis; assim poderia contar com um “advogado ou um botão de acionamento”, que pudesse resolver suas necessidades, quando dependesse de algo impossível para si. Da parte do homem, os deuses eram alimentados pelos cultos, rituais e obediência. Por isso, à medida que nos vamos esclarecendo, o nosso conhecimento vai-nos resgatando dos grilhões das religiões. Enfim, Deus é uma das auto-suficiências no homem. Quem induz o homem a buscar um Deus fora do seu EU, é porque quer vê-lo debandado de si e, consequentemente, à mercê de “pastores”. (Leiam em Rom. 14:12). ­ 1.4 Se Deus é fruto do imaginário, então, quem fez o homem para imaginar Deus? – O que faz o mistério é a ignorância. Se o seu bisavô ressuscitasse hoje, ele jamais iria acreditar que os astronautas pisaram a lua. O conhecimento avança a passos largos, e, com ele, essa névoa misteriosa se desfraldará, decerto. Adianto-lhe, ainda: partindo da premissa de que tudo surgira do “nada”, quem teria maiores chances de nascer primeiro; a criatura ou o criador? A própria biogênese afirma que, na natureza, as coisas evoluem das formas mais simples para as mais complexas, como o criador teria vindo pela contramão da lógica? Qual tem a estrutura mais complicada, o ovo ou a galinha? O Senhor não fez do homem Sua imagem e semelhança? Saiba mais: o existente se comprova pela presença; o inexistente, pela ausência. 1.5 O que você pensa da Bíblia? – O Antigo Testamento é um receituário de dominação prescrito pelos judeus aos povos reféns do banditismo israelita. O próprio nome Israel significa: simaquia com Deus (Deus como seu aliado em guerra). Raciocine: No Antigo Testamento, Deus é retratado como uma propriedade exclusiva dos judeus (hebreus). Por quê? Porque foram eles quem inventou Deus! A mulher é descrita como um objeto do homem, no pentateuco. Por quê? Porque aquele conjunto de livros foi escrito integralmente por homens, daí o cunho machista. Ora, se o corpo humano consta de 206 ossos, como poderia a mulher se resumir à fração de 1/206 de um homem, já que Eva foi feita duma costela? (Gen. 2:22). Outra incoerência: ainda, no Antigo Testamento, Deus aparece na condição de precursor dos métodos de destruição em massa (o aniquilamento de Sodoma e Gomorra), Gen. 19:1-29, algo assemelhado a uma explosão nuclear. Nas dez pragas do Egito, (Ex. 7:14 e 11:10), Deus teria sido o preconizador da guerra química (envenenando as águas do rio Nilo), e da guerra biológica (disseminando gafanhotos pelo reino de faraó). Será se Deus, onisciente e todo-misericordioso, teria cometido aquelas barbáries? Mesmo porque o Senhor já sabia previamente que, no segundo milênio do nascimento do Seu filho unigênito, Seus ensinamentos genocidas iriam habilitar o Bin Laden para atentar contra uma nação protestante, os EUA, que se dizem ser habitados por um povo “santo e escolhido”? A Deus também o papel de pivô do primeiro fratricídio lavrado na bíblia, ao ficar grato pelas ovelhas recebidas de Abel, e se mostrando indiferente para com as batatas de Caim. Percebendo que o Senhor não reconheceu a sua humilde oferta na mesma medida das ovelhas doadas pelo seu irmão Abel, isso despertou um sentimento de inveja em Caim; levando o segundo a assassinar o primeiro. (Gen. 4:8). Aqueles escritos são apenas malícias humanas. Em estando sentenciadas nas Sagradas Escrituras, todas as atrocidades perpetradas pelos judeus às outras tribos recebiam uma conotação “divina” e, como tal, eram legitimadas e justificadas. Ainda hoje, israelenses (judeus) e árabes (muçulmanos) se arrastam em um conflito milenar e sangrento, nas terras da Palestina. Tudo teria começado com a interpretação preconceituosa de uma lenda bíblica. Ismael, filho bastardo de Abraão com a escrava egípcia, Agar, teria dado origem ao povo árabe (Gen. 16:5-15). E Isaac, filho legítimo de Abraão (ex-Abrão) com a sua verdadeira esposa, Sara (ex-Sarai), haveria sido o progenitor dos judeus (Gen. 21:1-7). Então, para desqualificá-los, os judeus tacham os árabes de descenderem do filho duma puta. Com efeito, se considerarmos aquelas narrativas nefastas (assassinatos, seqüestros, estupros, pilhagens; por exemplo, leiam: Num. 31:17-18; Deut. 20:10, 13 e 14; 23:13; 25:11 e 12; 2º Reis 19:35; Juízes 8:10; 2ª Cron. 28:6; 13:17 e 14:19; Isa. 37:36……); uns executados pelo próprio Deus, outros pelos Seus jagunços: Davi, Moisés etc., (cumprindo ordem divina), então, temos de dar a mão à palmatória, e concordarmos com o Santo Ofício, como tendo sido um cumprimento fiel às Sagradas Escrituras por parte da Igreja Católica. Acaso, imitar os ensinamentos bíblicos constitui um pecado ou uma virtude? Inquisição que não foi exclusiva apenas do catolicismo, o protestatismo também valeu-se de morticínios para fazer valer seu proselitismo. João Calvino, o pai dos presbiterianos, mandou queimar na fogueira o médico espanhol, Michel Servert Grizar. E tantos outros atos sangrentos promovidos pelos protestantes. Hoje muitas pessoas ficam horrorizadas ao saberem que, nas favelas das grandes cidades, os comerciantes são obrigados a pagar pedágios para os chefes do tráfico local, se quiserem continuar exercendo suas atividades mercantis. Ora, ora esse critério de sujeição extorsiva já era praticado pelos “capangas de Deus”, quando submetiam determinadas comunidades à condição de Cidades Tributárias. Para sobreviverem sem serem molestadas pelos judeus mandões, mafiosos, tais comunidades-reféns tinham de transferir grande parte de sua força de trabalho e riquezas aos seus “protetores”. (Vide em 1ª Cron. 18 e 2º Sam. 8). O mais gozado e incoerente de tudo isso é que Deus, retratado como bandido e sanguinário no Antigo Testamento, ainda assim, Ele personifica a figura do BEM. Ao passo que o diabo, embora nunca tenha matado ou roubado alguém, paradoxalmente, foi eleito como a fonte do MAL. O Novo Testamento foi uma forma de salvar as aparências, a fim de que o judaísmo continuasse reformado e aceito. Curioso: todos os literatos conterrâneos e/ou contemporâneos de Jesus Cristo, que fizeram menção ao Seu nome – posteriormente foram flagradas supressões e inserções nas obras deles – veementes indícios de fraude. Como é sabido, por muitos anos, a Igreja impôs caçadas mortais aos “hereges” e censura aos próprios cristãos. Pois, além da Santa Inquisição, houve o Index Librorum Prohibitorum ou Libros Improbatae Lectionis, cujas leituras eram proibidas aos fiéis, porque naqueles livros poderiam constar contraditórios que lançariam por terra as verdades impingidas pelo Clero. Não é à toa que projetos, tipo o GENOMA HUMANO, recebem veto ferrenho das lideranças religiosas. As descobertas do GENOMA podem desmascarar os conceitos dos santarrões acerca da origem da vida. Na fábula de Adão, Eva e a serpente, no paraíso, há gritantes evidências dela ter sido plagiada de um conto assemelhado, narrado no livro Avesta, de Zoroastro, escrito por volta do sec. VII Antes de Cristo, portanto, anterior à Bíblia Sagrada. No Avesta, a serpente era incorporada em Arimã, que, por corruptela ou dissimilação, teria dado origem ao termo Satã. E o BEM era representado por Ahura Masda ou Ormuzd. (Rituais Secretos – Maria Helena Farelli – Pag. 12). De resto, apenas o fato de Deus ou Jesus terem escrito sequer uma letra na bíblia, tudo teria sido transcrito pelos seus pretensos psicógrafos (quem escreve algo inspirado por um ente sobrenatural), já é uma razão de sobra para esse “livro sagrado” ser lançado na lixeira do descrédito. 1.6 Pastores fazem milagres? – Fazem! Os pastores, em nome de Deus, provam ser possível arrancar milhão de quem não tem tostão! Falando sério: toda aquela patarata verificada nos picadeiros das seitas, nada mais são que truques obtidos a peso de hipnose, o que para os trouxas são milagres (auto-sugestão – “ Minha filha, tua fé te salvou” – vide em Marcos 5:34), oração em línguas (xenoglossia), expulsão de demônios (o possesso delirando em estado psi-tetha). Ou melhor: fraudes conseguidas mediante fenômenos paranormais. 1.7 Por que as seitas Neocristãs têm arrastado tantos seguidores? – Elas crescem nutridas pelo esterco da miséria e da ignorância, e devido ao desgaste sofrido pela monopolista Igreja Católica ao longo desses dois milênios. Isso tudo associado a uma propaganda enganosamente apelativa e persuasiva, demonstrações de falsos prodígios (peitas), uma lavagem cerebral muito bem elaborada por taumaturgos, psicólogos e manipuladores de toda sorte. De modo que os objetivos são sempre os mesmos – espoliar os crendeiros financeira e politicamente – nota-se que o pagamento de dízimos e ofertas se sobrepõem aos dez mandamentos. É óbvio, no mundo “capetalista”, todo crescimento segue a reboque de dinheiro. Vejam só que contradição: se esse Deus apregoado fosse tão onipotente, os pregoeiros, os quais se autoproclamam os ministros Dele, precisariam recorrer a artifícios mundanos, como dinheiro e politicagem, para expandir o reino de Deus na terra? Por que tudo não acontece em um simples passe de mágica? Ademais, desde a Grécia Antiga, já se dizia que o homem é um ser social, gregário. Não apenas social, mas faccioso também: ele precisa se agrupar em cartéis para enfrentar com armas e malícias os seus competidores na sociedade, mediante a assistência mútua entre si e os iguais do “conluio” a que pertence. Por precaução, quaisquer pessoas, antes de se deixarem recrutar como dizimistas, deveriam observar o sermão do cristianismo e depois o comparariam à prática cristã ou modus vivendi das populações, onde a referida religião predomina. 1.8 Alguns adeptos, após a conversão, têm suas vidas melhoradas e permanecem fiéis! – Sim, é fato raro, mas acontece. Contudo, não é nada que não possa ser explicado. A partir do momento em que você se submete a um programa, cujo regime exclui: bebida, gastança, frequentação em ambiente de risco; essa nova conduta tende a trazer uma “melhoria” a sua vida material e social, inobstante seja você um auto-reprimido. É tudo uma questão de autodisciplina. Só que a presumida “mudança” nada tem a ver com intervenção do sobrenatural: é determinismo puro, igual aos êxitos logrados em grupos de auto-ajuda. Determinismo ou “vir-a-ser”, doutrina proposta por Friedrich Hegel (1.770-1.831), é um procedimento materialista de resultados previsíveis: dependendo dos meios aplicados a sua implementação, pode-se prever os fins. Salvo se houver fatalidades ou acidentes de percurso, que são fatores imponderáveis regidos pela teoria do caos. Uma granja avícola é um clássico modelo de determinismo. A propósito, hoje, mais do nunca, cada vez mais o homem recorre às leis das probabilidades em seus cálculos. Quando você sai do estado do Maranhão para o Amazonas, suas chances de contrair malária e/ou febre amarela sobem de 19%. Quanto à permanência dos sectários, isso acontece por “n” razões: por não quererem dar o braço a torcer, pelo constrangimento de poder vir a ser a “ovelha negra” de sua comunidade religiosa (contrariar o padrão de comportamento ou dogma). E depois, todo mundo é eclético; quer viver sempre a expectativa de prosperidade, mesmo que ilusoriamente, ainda assim, a auto-estima e a autoconfiança são elevadas. A ilusão de serem sugados aos céus, após a morte, assim como o profeta Elias (II Reis 1:11), também é um fixante. Tal alucinação chega a ser bizarra! Coitados, os fideístas (quem troca a razão pela fé) não sabem que essa recompensa póstuma, fantástica, é um cheque pré-datado que, ao chegar o dia do saque (dia de juízo), não disporá de fundo. 1.9 Por que nunca se encontrou substitutos para Deus e Religiões? – Freud dizia que religião é um estado de neurose. Karl Marx comparava a religião como sendo o ópio das massas. Se reportarmo-nos à Mitologia Grega, constataremos que, naqueles idos, o deus de todos os deuses, Zeus, já usava o vinho (o ópio, aqui figurado) para dopar alguém que ele queria trazê-lo a seus pés, cuja missão de busca era confiada a Dionísio, o deus do vinho. De Theos ou Zeus deriva a palavra Deus, pelo latim. Consta que Zeus era homossexual, e tinha como “namorado” um belo moço nomeado de Ganimedes, sendo que este último, freqüentemente, apresentava-se sob a metamorfose de um falcão. (FALO, a sagrada imagem masculina – Eugene Monick – Pag. 115). Mesmo assim, julgo impróspero tentar eliminar algo que de tão antigo já se incorporou como um arquétipo cerebral ou mesmo um sinequanon (condição indispensável), determinante de quase todas as atitudes humanas. O fato de Deus ser abstrato, isso Lhe confere longevidade ou um selo à prova de devassa. Aí ficamos naquela do “pode-não-ser-mas-pode-ser-que-seja”. Os mágicos se utilizam muito deste artifício para obter êxito em seus truques: eles jamais revelam o fundo de suas cartolas à platéia, pois é no fundo da cartola onde se produz o ilusionismo. Em um jogo de baralho, enquanto desconhecido, muitas vezes, um blefe tem maior poder dissuasivo que o próprio trunfo; tudo depende da capacidade do jogador de sugestionar o seu adversário. Um doente terminal, quando começa a saber da gravidade de sua enfermidade, abrevia sua morte. Este provérbio ilustra muito bem os exemplos anteriores: “Santo de casa não faz milagres!” Ou seja: é difícil enganar a si mesmo, não conseguimos pensar que vamos extrair alguma coisa extraordinária de uma fonte cujo limite está à vista, porque esta não é uma situação propícia para que ocorra auto-sugestão. A grande maioria das religiões são messiânicas e salvíficas; prometem a vinda de um redentor e uma recompensa póstuma. Quem vive hoje não vai ter como dizer ou desdizer a quem morreu 900 anos atrás que o Messias, até este momento, nunca veio. Quem já morreu virou esterco, do mesmo modo, não vai ter como confirmar ou desmentir aos vivos de agora: “Sacrifiquem-se pela causa de Deus e venham desfrutar comigo, post mortem, este paraíso de glórias!” 1.10 Qual é o sentido da Bênção? – A bênção é um ensaio à submissão. Dificilmente você vai ter coragem de dar um tapa numa pessoa a quem você pede bênção. Outrossim, o ser humano é uma animal de natureza egoísta. Portanto, se alguém tivesse a capacidade de manipular a vontade de Deus, assim o faria; mas em proveito próprio, não para beneficiar outrem. 1.11 E a Santíssima Trindade? – A trindade é uma espécie de nó sem pontas para confundir ainda mais os curiosos. No plano material, a trindade serviu de embasamento “celestial” para que os homens instituíssem os seus três poderes estatais: legislativo, executivo e judiciário. Já que em quase todas as religiões a figura do trino está presente. Para as civilizações antigas o triângulo representava uma estrutura perfeita e indelével. 1.12 Dos boatos sobre Jesus, qual você acha mais verossímil? – Não sei! Recentemente, dois pastores e teólogos, após uma criteriosa exegese, constataram que Jesus Cristo teria sido homossexual. E que o rei Davi vivera um romance homossexual com o Jônatas filho de Saul (vide II Sam. 1:26). Um desses teólogos, Theodore Jennings Junior (estadunidense), até já lançou um livro: The Man Jesus Loved (O Homem Que Jesus Amava, referindo-se ao apóstolo João). E o australiano, Rollan Mcleary, lançará o seu livro em breve. Tal “constatação” pode ter sido engendrada para contemplar o crescente rebanho gay dentro do segmento evangélico. Nos Estados Unidos, as Igrejas Protestantes Gays já se alastraram ao largo do país inteiro, donde são exportadas mundo afora. Uma das particularidades dessas Igrejas Gays é realizar casamentos entre pessoas do mesmo sexo. Seus líderes e seguidores são os simétricos dos vigários pedófilos. Bem como de Marózia, a cortesã (puta de elite), a qual era amásia e mãe de papas. 904-1011 o dominio das meretrizes, Sergio III , tinha uma amante , Marozia: “Ela e sua mãe Teodora (esposa e viuva de um senador romano e sua irma puseram na cadeira papal seus amantes e filhos bastardos, transformando o palácio pontifício em um bordel de depravados isso ficou conhecido como Pornocracia, ou Dominio das Meretrizes” O pesquisador, La Sagesse, por seu turno, afirma ser Jesus Cristo apenas um mito. Para os judeus e mesmo para muitas lideranças cristãs, Cristo nunca ressuscitou; ele teve foi o corpo raptado pelos seus cúmplices. É tradição milenar entre guerreiros: por uma questão de honra, nunca deixar os cadáveres dos companheiros tombados se decompondo em território inimigo. O governo norte-americano, ainda hoje, onde sabe que há um patrício seu enterrado além-fronteira, manda resgatá-lo para o solo estadunidense. Há três anos, Fidel Castro envidou um imenso esforço que culminou com o traslado da ossada de Che Guevara do subsolo boliviano para Cuba. O próprio método como se haveria concebida a gestação de Maria, de acordo com a versão bíblica, serve até de chacota aos zombeteiros. Chegam ao ridículo de dizer que José fora o primeiro “corno” por telepatia, e que Deus seria o “tele-ricardão” pioneiro da história, visto que Ele engravidou a mãe de Jesus sem a necessidade dos dois se unirem pelas cópulas carnais. (Mateus 1:18-25). Exceto se Jesus Cristo foi fruto de uma reprodução assexuada, verificada em alguns animais. Conquanto será Jesus sempre lembrado, senão como um referencial cronológico, sendo que Ele foi convencionado o “marco-zero” do calendário cristão. O mais aceitável é que Jesus teria sido um artifício oportunista, engendrado para “consumar” a profecia feita no Velho Testamento, livro de Isaías, Cap. 7 e Vers. 14; onde está prenunciado o nascimento de um menino, do ventre duma virgem, cujo nome chamar-se-ia Emanuel (Deus conosco) e viria predestinado a governar os israelitas. Agora, comparem a farsa anterior à esta mais recente: a 13/07/1.917, o Vaticano inventou que Nossa Senhora de Fátima haveria aparecido a três pastorinhos, em Portugal, aos quais fizera três revelações. Os segredos foram trancados a sete chaves pela Igreja Católica. Mas à medida que iam acontecendo fatos de repercussão cosmopolita, o papado ia “enfiando cada um em sua respectiva luva”. Primeiro segredo: a Primeira Guerra Mundial (de 1.914 a 1.918) ou a Revolução Russa de 1.917. Segundo segredo: a Segunda Guerra Mundial (de 1.939 a 1.945). Como depois da Segunda Guerra demorou muito para haver um evento mundial, relevante, a fim de não deixar a profecia furada, o Vaticano resolveu encaixá-la no tiro tomado pelo papa, em 13/05/1.981, disparado pelo turco Ali Agca. Enquanto o papado não arrumou uma explicação para a terceira profecia, o mundo cristão estava-se cagando, temendo que se tratasse da terceira e última grande guerra. 1.13 Teça seus comentários acerca do Sofrimento de Jesus! – Os sacerdotes, talvez na tentativa de consolarem os aflitos, insinuam: “Sede resignado, irmão, até Jesus, o mais glorioso dos homens, também sofreu; para nos servir de exemplo!” Primeiro: como é que Jesus Cristo vai fazer uma conta para eu pagar, se eu não O autorizei previamente?! Segundo: se Jesus detinha tanto poder, e, mesmo assim, deixou-se martirizar; Ele só pode ser definido como um masoquista (quem sente prazer em sofrer)! Terceiro: se Deus existisse na máscara de Cristo e fosse um criador justo, no mínimo, durante a pré-existência de cada vivente, Ele apresentar-lhe-ia um filme antecipado do que viria ser o futuro do nascituro, a fim de que este tivesse o direito de escolher se queria viver, ou senão mandasse Deus abortá-lo logo na fase de anteprojeto. Por que temos de ser cobaias do viver imposto?! 1.14 Existe Diabo? – O diabo foi inventado para servir de porção antagônica na rivalização com Deus. Assim: quanto mais se semeia e se enfatiza o diabo, mais as criaturas atormentadas buscam o Deus “propagandeado” pelos vendilhões. E essa busca tem um preço. Porventura, não vivemos em um sistema dualista/maniqueísta, sendo a paternidade dessa bipolarização conferida a São Jerônimo e a Mani? Bem x mal, bom x mau, luz x trevas, bonita x feia etc. Eqüivale a afirmar: “Sugerido o diabo, o Deus nascerá pelo instinto de autodefesa!” Por outro lado, não existe ação sem reação, assim como não há ímã de um só pólo: o surgimento do pólo sul é que induz ao aparecimento do pólo norte e vice-versa. Já dizia Nelson Rodrigues: “Toda unanimidade é burra!” E pela correlação que fazem os religiosos, Deus é o juiz e o diabo é o Seu delegado. Uma vez que, quem tenta contra Deus, é punido no inferno; a cadeia do diabo. –Ora, quem ataca os nossos inimigos tende a ser o nosso amigo. Então podemos constatar a riqueza de contradições flagrantes em nossa bíblia. 1.15 Cite os nomes de alguns Ateus Famosos? – A maioria dos cientistas e pensadores é composta por ateístas e/ou cépticos, dentre os quais, podemos enumerar: Platão, Sócrates, Valtaire, Rene Descartes, Galileu Galilei, Leibnitz, Sigmund Freud, Thomas Alva Edison, Alberto Santos Dumont, Albert Eisntein, Stephen Hawking etc. Thomas Edison, o maior inventor de todos os tempos (patenteou 1.093 invenções), deixou a célebre frase: “As religiões são uma farsa!” George Washington, estadista norte-americano, detonava: “Todas as religiões têm o mesmo fundamento; nascem de mitos!” Einstein referia-se a um Deus cósmico (The Old One – Um Velho Qualquer), o que para Leibnitz era a Mônade: essência de todas as coisas. Por que Deus dotou de tanta inteligência estes opositores Seus? E por mencionarmos nomes de céticos ilustres, eis uma dica para fazer de um miserável milionário: uma plêiade de cientistas ateus, liderada por James Randi, tem depositado em juízo, nos Estados Unidos, o prêmio de U$ 1.000.000,00 (um milhão de dólares) para contemplar quaisquer criaturas que comprovarem ter recebido uma graça divina. Logo, se você foi agraciado por uma dádiva ou um milagre – vá correndo testificar isso ao Mister James – pode ser a sua chance única de se tornar um magnata nesta vida. Mas, atenção: ele já desmascarou mais de trezentos charlatães, inclusive, o nosso compatriota conhecido como “O Homem do Rá”, ou seja, o escroque mineiro, Thomas Green Norton. Para contatar como o James e sua equipe, basta você acessar ao site: http://www.randi.org Ou pelo fone: 954.467.1112 e fax: 954.467.1660 (antes você deve consultar o código de discagem DDI para os Estados Unidos). Endereço: 201 SE. 12 th. St. (E. Davie Blvd) – Fort Lauderdale, FL 33316.1815 – USA. Pronto, está lançado o desafio! Notemos: todas as ocasiões em que a ciência descobriu algo de maravilhoso, de imediato, as religiões procuraram tomar carona no achado, atribuindo-lhe uma conotação divina. Quando os cientistas mapearam o código genético, humano, George Bush, um evangélico radical, fez sua auto-inclusão, dizendo: “Finalmente a ciência conseguiu decifrar o código através do qual Deus escreveu a vida!” É isso aí: quando não se consegue vencer o “inimigo”, a melhor fórmula e se unir a ele! Trata-se de um assunto muito amplo e controverso, que suscita um debate prolongado, porquanto, impossível de ser abordado em poucas palavras. E-mails: benignodias@bol.com.br ou: benignodias@yahoo.com.br 2. DEUS ORDENA A SUPERLOTAÇÃO DA TERRA 2.1 A Síndrome da Superpopulação Em Gênesis: 9:7 Deus ordena: “Mas vós frutificai, e triplicai-vos; povoai abundantemente a terra, e multiplicai-vos nela”. Seguir esta ordem divina seria um suicídio coletivo, gente se afogando em gente. SAIBAM O PORQUÊ: A explosão demográfica é, sem dúvida, a causa de quase todas as mazelas modernas. Cada indivíduo que nasce, constitui um multiplicador de problemas em potencial. O fenômeno da superpopulação traz, inevitavelmente, a sociedade competitiva. Na sociedade competitiva, o homem passa a enfrentar o seu semelhante como um inimigo, embora, quase sempre, não-declarado. Para derrotar o competidor, consciente ou inconscientemente, o ser humano incorpora o seu mais extremo recurso: a lei que revoga as demais, a lei da sobrevivência. Não a lei da sobrevivência instintiva, mas aquela calculada, arrivista. Nesse estágio, os inversos de valores, como: moral, solidariedade e sinceridade tornam-se armas diabólicas da estratégia interpessoal. Passa-se a conviver, então, numa sociedade pandemônica, algo pior que a sociedade de lobos preconizada por Plauto; quem dera fosse, pelo menos, lobos não raciocinam! A multidão serve também como camuflagem (mimetismo) para muitas pessoas se despersonalizarem, corromperem-se……na quase certeza de que passarão despercebidas. Outras assim procedem para chamar a atenção, pois à medida que aumenta a população, mais um elemento se sente diminuto, anônimo. E há até aqueles que se entorpecem; como a buscar um condicionamento psicológico capaz de ajustá-los às adversidades cotidianas . À proporção que a superfície terrestre vai sendo povoada, sobra menos solo cultivável. A agropecuária dispõe, paradoxalmente, de menor espaço para produzir alimentos para um maior número de consumidores. Então, recorre-se ao “milagre da química”. A fim de conciliar a ganância de quem produz à necessidade de quem consome, aplica-se o fertilizante, a herbicida, o transgênico, a clonagem etc. Tudo isso tem como decantador ou despejo final, o corpo humano, constantemente bombardeado . Surgem as moléstias; enfermidades cuja proliferação mais rápida e resistente será propiciada pela grande concentração de organismos fragilizados, coabitantes de um ecossistema cada vez mais insalubre. A indústria, por seu turno, na tentativa de responder à demanda e competir com a concorrente, automatiza-se, robotiza-se. Tal processo implica a troca do trabalhador pela máquina, sinônimo de desemprego e desespero. Sobretudo no mundo globalizado. Um chinesinho que acabou de nascer, pode prejudicar a qualidade de vida dum brasileirinho aqui. A China é uma nação onde a economia ainda não abraçou o dogma do capitalismo ocidental. O trabalhador chinês vende sua mão-de-obra numa escala depreciada, por conseguinte, seus produtos comerciais são processados a baixo custo. Desse modo, é mais vantajoso, para um empresário brasileiro, importar bugigangas chinesas do que comprar artigos da indústria nacional, embora esta segunda opção significasse a inclusão de trabalhadores brasileiros no setor produtivo. Em meio à tanta tribulação, o tecido social se esgarça, levando as pessoas ao estado de niilismo: “não nos resta mais nada, estamos às vésperas do fim”. Esse tipo de sensação desperta no homem uma gana voraz por lograr e estocar tudo, antes que alguém chegue primeiro. E todos passam a pensar e agir assim; o individualismo e a desconfiança recíproca se exacerbam. Segundando esta afirmativa, a Fundação Getúlio Vargas, em recente pesquisa, constatou que os países mais populosos são mais corruptos, não somente em quantidade, mas em percentagem também. Por essa busca enlouquecida, a princípio, aquela que acaba pagando mais caro é a natureza, a qual, degradada, “vinga-se” do homem. Isso justifica a preocupação do chefe do Programa Ambiental da Organização das Nações Unidas, Klaus Toepfer, manifesta durante sua visita em Sidney-Austrália. Referindo-se à China, disse Toepfer: “Quadruplicar o PIB de uma país de 1,3 bilhões de habitantes, imaginem a catástrofe ambiental que tal ambição possa trazer à vida na terra!” Claro que um freio abrupto na densidade demográfica, mundial, é algo que beira às raias da utopia. Mesmo porque, hoje, o número de habitantes de um país virou trunfo das negociações internacionais. Basta espelhar-se pelo mau exemplo da China: seu governo tem violado os direitos humanos sistematicamente, nem assim, as potências capitalistas (as detentoras do poder terráqueo) adotam retaliações contra o governo de Pequim. No mundo capitalista, quem manda são os megaempreendimentos: empresas, bancos, indústrias etc. Qual país capitalista gostaria de perder um mercado consumidor com o volume do chinês? George Bush, em recente pronunciamento, declarou que a Índia já merece um lugar no Conselho de Segurança da ONU, porque o país já conta com uma massa populacional próximo a um bilhão de habitantes. No plano interno, também não é diferente: os governantes, à exceção dos chineses, nenhum esboça o interesse de controlar a taxa de natalidade. Pois, para os empresários (legítimos financiadores do poder eleito), quanto maior a população, maior o número de consumidores em potencial. É compromisso desses homens de negócios, estimular a multiplicação de objetos de lucro/produção (consumidores/trabalhadores), a fim de que seus empreendimentos se perpetuem crescentes, postumamente, sob as rédeas dos seus descendentes. Enquanto isso, àqueles que sonham com um mundo racionalmente povoado, restam os mecanismos de controle natural das populações: epidemias, tsunamis, terremotos etc. Contudo, se ainda existe alguém comprometido com a posteridade, que decrete logo um rígido controle na taxa de natalidade, antes que o planeta entre em colapso. Ou antes mesmo que, ao invés de chorar, um homem passe a comemorar a morte de um semelhante seu, por ter-se livrado de mais um concorrente. 3. A FACE “CAPETALISTA” DO PROTESTANTISMO Apesar de muitos definirem o protestantismo, no Brasil, como alguma coisa messiânica ou uma profecia consumada, o pano de fundo dessa corrente religiosa esconde a voracidade do imperialismo ianque (Estados Unidos e Grã-Bretanha), em transculturar os povos de credos diferentes. Quanto mais esses dois países inculcarem nas demais nações o espírito protestante, maior será o número de “igualados” a se identificarem e absorverem a ideologia ianque. Noutras palavras: cada elemento que se “converte”, consciente ou inconscientemente, “é um esterco que está adubando a erva daninha semeada por esse império internacionalista”. E o pior: as criaturas manipuladas não se dão conta de que estão servindo de vetor de propagação para uma peste mundial. Durante a ditadura militar, entidades como o IBAD (Instituto Brasileiro de Ação Democrática) teriam recebido milhões de dólares para investir na manipulação da consciência nacional, tendo como principal agente as seitas oriundas dos Estados Unidos. Ao longo desse período totalitário, bastava surgir uma liderança popular, progressista, para que a mesma fosse enquadrada na Lei de Segurança Nacional. Se o trabalho de conscientização fosse pregado no campo, o crime seria tipificado de: “Incitação a camponeses”. Igual punição não era aplicada a padres e/ou pastores que usurpavam e encabrestavam seus sequazes. Óbvio, ao sistema opressor, é utilíssimo alguém que o ajude a controlar a massa subjugada, porém, é por demais pernicioso e ameaçador quem tentar retirar as amarras da mesma. Organicamente, a hierarquia dentro das facções evangélicas, embora informalmente, reproduz, de certo modo, a pirâmide verificada nos quartéis. Ou por que não dizer: a estrutura do estrato social. Numa corporação militar, o posto, o qual ninguém gostaria de exercê-lo, seria o de recruta. Entretanto, como pessoas pobres mal escoladas não têm muitas opções, a função de soldado acaba sendo atraída pela ralé, até por uma questão de sobrevivência desta. Uma vez constituída a base, de suas proporções suscitam as graduações verticalmente superiores. Exemplo: para cada efetivo de 100 praças, urge a necessidade de 8 cabos, 4 sargentos 2 tenentes e assim sucessivamente. Como sargento e tenente (acesso ao oficialato) já detêm cargo de mando, o ingresso a ambos não exige a via-crucis pela qual deve passar um recruta. A seleção dos dois é feita mais pela via intelectual do que pelo tirocínio penoso. Pois presume-se serem seus postulantes mais bem qualificados; perfil abundante nas classes sociais mais aquinhoadas. Assim sendo, por vezes, a vitória ou derrota de uma batalha depende mais da versão dada por aqueles que têm vez e voz – os graduados – e menos das baixas de um lado e outro. Apesar de ser o soldado o combatente que prova das agruras do front. Nas seitas protestantes, igualmente, à medida que a comunidade, inicialmente composta pela escória, incha, vai-se tornando uma clientela atrativa para as mais diversas corjas de exploradores (numa relação presa/predador): ícones da mídia, vendedores de motivos religiosos, cantores, escritores, políticos inescrupulosos etc. De tal modo que, investir numa comunidade cativa é um negócio, até então, seguro; graças à fidelidade imposta pelo pastor às suas ovelhas a tudo que diz respeito à doutrina apregoada. Só para ilustrar, um caso típico: alguém tentou a vida como “cantor mundano”, mas não logrou êxito. Então, ele se converte em um cantor evangélico. Suas probabilidades de sucesso passam a ser imensas, já que o mesmo vai vender sua pandorga (música chula) a uma clientela que considera divino tudo o que sai da boca daquele “canteiro”. Esse método de recrutar clientes, “isolando-os” do mundo (marketing fechado), é aplicado por empresas como a estadunidense AMWAY. A propósito, em período eleitoral, os candidatos investem maciçamente, aliciando os pastores, pois subentende-se que os templos evangélicos ainda são currais eleitorais, cujo cabresto está na mão do seu dirigente espiritual. E isso parece ter um fundo de verdade, porque se não houvesse o retorno esperado, o político não iria aplicar seu dinheiro em vão. E para reforçarem o “recado divino”, os reverendos ainda invocam Mateus 7:6 “Irmãos, não dêem vossas pérolas aos porcos; povo santo deve votar somente em candidatos revelados por Deus!” Tamanha incoerência peculiar aos hipócritas mais descarados! Percebendo se tratar de uma exploração politiqueira em nome de Deus, o ex-presidente do Superior Tribunal de Justiça-STJ, Nilson Naves, em entrevista, sugeriu que o parlamento criasse um instrumento legal capaz de frear a enxurrada de pastores ao poder político, em detrimento das outras lideranças da sociedade civil desprovidas de uma máquina de manipulação dessa ordem. -Ora, se creio em um Deus onipotente, por que eu tenho de recorrer a recursos mundanos (como dinheiro, política, medicamentos, guarda-costas) para solucionar os meus simplórios problemas existenciais?! É uma forma indireta de negar a fé professada. Isso seria como afirmar: eu resido em um conjunto de 4 unidades habitacionais – não moro na residência 1 nem na 2 nem na 4 – por exclusão habito na casa 3. Ou por inclusão direta: resido na moradia 3! O caso anterior de fé de araque é análoga à de um certo papa, quando encenou enfrentar a gripe espalhola: “Porque, para a maioria das pessoas, uma epidemia ou seja, o surto de uma doença infecciosa era um castigo divino, que vinha diretamente do céu ou, quem sabe, do inferno. Por isso, no auge da epidemia da peste, o papa Clemente VI conclamou os fiéis de toda parte a pedir clemência em Roma. Acredita-se que 1,2 milhão de peregrinos tenham atendido ao pedido, informa o epidemiologista Afonso Dinis Costa Passos, professor da Universidade de São Paulo, em Ribeirão Preto. Mas, no meio do caminho, nove em cada dez pessoas caíram mortos. Quem chegou em Roma, por sua vez, não viu o papa, que preferiu ficar encarcerado, com medo de se transformar em mais uma vítima.” A exemplo das casernas, a imagem próspera e positiva dos “convertidos” passa a ser publicamente impingida como algo comum ao rebanho inteiro. Por quê? Porque os membros que têm vez e voz de falar em nome da congregação são os privilegiados , os quais vivem de usurpar a “receita” arrancada da base majoritária e cega. Vale ressaltar que tais figuras notáveis são por demais bem vindas à comunidade e, muitas vezes, até mesmo cooptadas pelas lideranças. Haja vista que, se por uma lado elas sugam os seus pares, por outro, as mesmas servem de garotos-propaganda à seita. Há situações também, quando as ovelhas inferiores aparecem dando testemunhos, porém, não raramente, são pagas para isso. Atualmente, com a onda da Doutrina da Prosperidade (JE$U$ é REAL, Templo é Dinheiro, Pequenas Igrejas Grandes Negócios, JE$U$ com CIFRÃO), sempre que surge um segmento significativo dentro da sociedade, logo aparece um heresiarca (fundador de seita falsa) para criar uma igreja capaz de arrebanhar e explorar o filão de mercado representado por aqueles dizimistas, em potencial, ainda sem rebanho. Para alguns estudiosos, tal prática protestante seria uma herança da Igreja Católica; consta que São Benedito e Nossa Senhora Aparecida teriam sido “pintados” de preto para que a comunidade negra se sentisse representada dentro do catolicismo e assim se debandassem dos ritos candomblecistas/umbandistas. Os métodos para arrancar dízimos e ofertas dos cativos da fé são os mais diversos: carnês mensais, depósito em conta corrente, campanhas arrecadatórias para um determinado fim etc. Na maioria dessas igrejas, no ato de catar o dízimo, o pregador põe um cântico relaxante, deixando o ofertante em estado de entrega total. Em outros templos, o missionário submete os fiéis a constrangimento: “Apresente sua oferta ao Senhor Jesus, irmão!” E todos são obrigados a exibir à assembléia o valor do dízimo a ser ofertado. Essa tática tem como objetivo induzir uma competição entre os doadores; ninguém quer ser visto como um ofertante mesquinho, claro! A contrapartida: aquisição de terreno no céu, recebimento de uma graça especial, promessa de ficar milionário (somente àqueles que se despojarem de todos os seus bens em prol da igreja). O contra-censo: a venda de indulgências, por parte da igreja católica, foi um dos pretextos que levou Martinho Lutero a promover o racha contra o domínio papal ou Reforma, como ficou conhecida. Agora vimos as seitas de Lutero cometendo os mesmos erros. Então vem-nos a indagação: o cisma dos protestantes foi para moralizar ou para abocanhar o rico “mercado” outrora monopolizado pela igreja romana? Durante o 2º semestre de 2.005, a Câmara Federal esteve envolta por CPI’s, com fins de apurar casos de roubalheiras sem precedentes, na história da República, cujos protagonistas foram os próprios pares daquela Cada Legislativa que tinham como comparsas alguns empresários inescrupulosos. Aproveitando aquela “cortina de fumaça”, nos aeroportos, pastores-políticos também foram flagrados atravessando muitos malotes abarrotados de dinheiro, eventualmente, resultante da coleta de dízimo. O que entre os deputados ficou conhecido por MENSAMALÃO, à versão pastoral da aludida gatunagem deu-se o nome de DIZIMÃO DE GRUDE. Por ser o dízimo isento de comprovação de procedência, a cada dia crescem mais as suspeitas de que muitas seitas estariam servindo de lavanderia para as finanças do crime organizado. Em conversa reservada com um pregador membro da minha família, ele me confidenciou que nada melhor para incrementar a colheita de dízimo como uma profecia catastrófica. Se na noite anterior a mídia divulga uma matéria apocalíptica, nos dias seguintes, temendo serem atingidos pela praga prenunciada, os “irmãos” escancaram as suas carteiras e derramam grana abundantemente na sacolinha da coleta, talvez uma tentativa de comprar a custódia de Deus. Ele me falou, ainda, que soube tirar o máximo de proveito do BUG do milênio, pane que acometeria todos os computadores na virada do milênio. Eis que o meu parente de mente fértil deu uma significação satânica e escatológica à sigla BUG (Beast Undercover God) = Deus Disfarçado de Besta (fera), isso deixou seus asseclas em polvorosa. Nada a ver com o significado de bug em inglês: percevejo, inseto etc. Agora o meu familiar prodigioso está aterrorizando os seus lacaios, valendo-se do Verichip: um microcircuito digital que introduzido na região subcutânea, contendo dados da pessoa portadora, pode servir ao governo como controle logístico da população. “Sangue de Jesus, irmãos, isso já é própria Besta 666!” Alerta o pregoeiro espertalhão. Uma piada assim é tão ridícula quanto a explicação demonológica apresentada por um “bispo” da Igreja Universal, para o tsunami ou onda gigante que avassalou o sul da Ásia, em 26/12/2004, cujo número de mortos deve ter superado a casa dos 300.000. No dia seguinte à catástrofe, em um programa matutino da TV Difusora, profetizou o apóstolo iurdiano: “Meus irmãos, maremotos de tamanha magnitude são causados por um ‘encosto’ habitante das profundezas oceânicas!” -Santa manipulação! Cá pensei comigo: opa, o que tal nós, humanos, capturarmos esse monstro fortíssimo e utilizarmo-lo para mover as nossas turbinas, nas centrais hidrelétricas?! Seria o fim da crise energética mundial! Durante a programação, eram exibidos flashes de “obreiros”, sob o comando de um pastor, varrendo a escadaria da “catedral da fé” da Igreja Universal em São Luís-MA, uma imitação burlesca à lavagem das escadarias da catedral do Senhor do Bonfim em Salvador-BA. Na ocasião, o “bispo” fez questão de enfatizar que o banho utilizado pelos “obreiros” era composto de sete ingredientes, e que fora preparado por uma “ex-mãe-de-encostos” ou Mãe-Cida. O programa humorístico, Casseta e Planeta da Rede Globo, que se cuide! Por conta do crescente número de lésbicas e gays dentre as populações, surgem seitas da estirpe: Sinos de Belém, cujo dogma é o homossexualismo, já conta com 120 templos. E as igrejas: Adventistas Gays, Igreja Comunitária Metropolitana (fundada pelo pastor Luís Fernando Pereira Guarupe), Outras Ovelhas (do pastor homossexual, Victor Soto Orellana) a Gays de Cristo, Igreja Acalanto, Comunidade Cristã Nova Esperança e outras seitas antinomistas (sem ética cristã). Nesses picadeiros, truques conseguidos à base de hipnose e auto-segestão chegam a impressionar os incautos: é ação do Espírito Santo, segundo os taumaturgos (milagreiros de araque), expulsão de demônios etc. Aliás, recentemente, tivemos a oportunidade de assistir a um bizarro show de hipnose. A reportagem exibida pelo Fantástico da Rede Globo, mostrando a “façanha” do pastor, Marcos Pereira da Silva (da Assembléia de Deus dos Últimos Dias, apóstata da legítima Assembléia de Deus), no Presídio de Benfinca-RJ, em 31/05/2.004. Aos olhos de um fanático, aquela patarata foi uma verdadeira Armagedon (as mãos do Espírito Santo agindo contra Satanás). Todavia, a uma pessoa racional, o acontecido ali nada mais foi que uma demonstração de hipnose coletiva; prática bastante explorada, em programas de TV, por padre Quevedo, Uri Gueller, pelo hipnólogo Fábio Fuentes etc. Meras emboscadas para arrancar dízimos de otários. No caso dos amotinados cariocas, o operador (o pastor) contou com um aliado poderoso: o fato de os presidiários estarem mais de 3 dias sem comer. É fato comprovado: a abstinência alimentar, por períodos longos (o famoso jejum como preparação para o fiel receber o “espírito santo”), constitui a receita básica das seitas, durante os trabalhos de lavagem cerebral em seus seguidores. Trata-se de um fenômeno humanamente explicável: quando estamos com muita fome, o nível de glicemia (açúcar) cai drasticamente, em nossa massa sangüínea. Carente de açúcar, o cérebro fica “desenergizado” e muito vulnerável a sugestões, alucinações, comandos externos etc. Ademais, na cadeia, os presos estão em um ambiente por demais hostil e assombrado: psicologicamante eles vivem em permanente estado crítico (borderline). Nessas ocasiões, a equipe de psicólogos prefere vestir as cores branca ou azul (por serem desaceleradoras). Os detentos drogados, em geral, resistem ao processo de hipnose, pois a droga (em sua maioria) é uma bloqueadora mental, dificultando a recepção das sugestões emitidas pelo hipnotizador. – Mas a hipnose só não ocorre quando o paciente ou sugestionável permite?! – Sim, isso é uma verdade. Porém, cumpre lembrar: pessoas acabrunhadas e fragilizadas não têm poder de escolha, não resistem; suas mentes estão quase sempre permissivas e desorganizadas, sobretudo, quando a chave ou engodo do processo persuasivo é o nome de Jesus (um socorro universalmente invocado em caso de desespero). Aliás, no seus jogos de sedução, as seitas proselitistas imitam muito bem os urubus: seus agentes procuram ludibriar as pessoas quando estas estão numa situação de “fundo-de-poço”, no auge da angústia, com poucas chances de reagir a uma cilada dos fariseus tentadores. Para um náufrago aflito, até uma galho de espinhos serve de tábua de salvação. Onde há facções rivais, num mesmo presídio, o sugestionador deve sugerir a todos um inimigo comum: o DIABO é um ótimo nome. Assim, na luta de todos contra “satã”, os desafetos encarcerados acabam se unindo em prol do mesmo objetivo: derrotar o “diabo”. “Quando a floresta pega fogo, coelho e onça buscam abrigo na mesma moita, e ninguém come ninguém”. * Conforme noticiou a imprensa carioca, outros negociadores, como: padres, psicólogos, sociólogos etc., já se haviam oferecido para intermediar o conflito. Mas o secretário da Segurança Pública do Rio de Janeiro e pastor, Anthony Gatinho, alegando “questões de segurança” vetou a todas as cortesias. Mais tarde, ligou ao pastor Marcos Pereira da Silva, que aceitou o convite. Garotinho sabia que, naquelas alturas, um êxito logrado pelo reverendo seria creditado a todo o segmento protestante, do qual ele é parte. Depois de toda a bravata descrita, o que se sabe sobre o pastor “miraculoso” é que a polícia o está investigando para tentar confirmar a suspeita de que o mesmo receberia dinheiro do crime organizado, em contrapartida, Marcos Pereira homiziara bandidos em uma fazenda pertencente a sua seita. Entretanto, para um povo que se autoproclama de “santo”, o mais difícil deve ser para explicar os contrastes a seguir: *Alemanha, quase 100% protestante. Segundo os ex-goleiro da seleção alemã, Schumacher, 90% dos jovens alemães usam drogas (inclusive os atletas). Ele teve que sair às pressas de sua pátria para não ser assassinado. Além de ser a nação onde se consome mais cerveja no planeta. Quem bebe essa cervejada toda? E em número de racistas e neonazistas só perde para os Estados Unidos! Quantos foram os judeus trucidados, durante a 2ª Guerra Mundial, pela Alemanha, berço do protestantismo?! *Holanda, com o mesmo percentual evangélico da vizinha Alemanha: país mais depravado do mundo, família lá é uma instituição extinta. A eutanásia e algumas drogas já foram legitimadas pelo governo, casamento entre homossexuais etc. *Estados Unidos, outra potência protestante, responde pelos primeiros lugares em: consumo de drogas, homossexualismo, alcoolismo (2º lugar; 1º Rússia), prostituição, satanismo, heresia, racismo e neonazismo. Além de ser o país que mais perpetra genocídio contra os outros povos para roubá-los e escravizá-los. É a nação que mais investe na produção de armas de destruição em massa. *Africa do Sul, 24% de evangélicos, descendentes de holandeses (böers) impuseram um regime segregacionista, crudelíssimo (apartheid), por muitos anos, contra a maioria negra (76%). Inclusive, o médico sul-africano, Wouter Basson, produziu, em laboratório, uma bactéria específica para matar só negros. *Inglaterra, outra nação assassina (vide história). A última pesquisa mundial acerca de fé, divulgada pela rede globo, 33% (1/3) da população confessou-se ser atéia. Recordista global. * Finlândia, 98% protestante, mas é o país que se destaca no 1º lugar em números de suicídios. E o alcoolismo entre os finlandeses inicia aos 15 anos de idade. Quanto ao esfacelamento das seitas, isto pode ser aquilatado sob três aspectos: a) A própria palavra seita já significa fragmentada, Reino Dividido, Mt. 12:25 e Lc 11:17, e o termo “satanás”, no hebraico, quer dizer opositor, contestador; e no grego, a palavra “diabo” encerra…”aquele que divide, divisor”. b) A saga pelo monopólio de todos os dividendos político-financeiros, por parte da cúpula, do tudo que o rebanho pode render. c) Neste estágio de superpolução, o ser humano vive uma profunda crise de identidade; a cada dia UM vai sendo eclipsado pelo anonimato. Em contrapartida, pertencendo a um grupo não muito grande, o sectarista vai sentir sua unicidade menos ofuscada ( talvez para tomar carona na esteira do atendimento personalizado, do kitnet ou noutra forma de auto-afirmação como ente único). Tal escolha do seguidor entra em choque com a gana das lideranças, as quais querem ver sua religião crescer e se expandir indefinidamente. Daí por que o freqüente troca-troca de doutrinas entre os adeptos. d) Trata-se da questão do constante “renovar”, na tentativa ilusória de não se tornar obsoleto. Indivíduos partidários desta tendência, em geral, são arrastados por modismos coletivos, em busca de uma Pasárgada (reino fictício de Manoel Bandeira). Eles são panurgistas ou panúrgicos: seguem seus líderes cegamente. Isso só nos leva a convir: O PROTESTANTISMO É A VERSÃO CONFESSIONAL DO CAPITALISMO! 4. COMO AS CRENÇAS LESAM AS MENTES 4.1 Psicose Divina Certa vez, eu vinha sendo perseguido por um “fantasma”. Ao perceber meu drama, um pastor propôs que me convertesse ao protestantismo; era a minha única saída, segundo ele. Aí, pensei comigo: meu problema pode ser um ótimo passaporte para eu adentrar as entranhas dessas igrejas prodigiosas, e assim compreendê-las melhor. Acolhido como um novo irmão, vi o pastor escalar dois exércitos antagônicos, que vivem travando uma armagedon espiritual. De um lado, uma legião de demônios cujo caudilho era Lúcifer. Do outro, uma ordem de anjos capitaneada por Jesus; a banda pela qual fui recrutado. Depois de servir de bumerangue por algum tempo, pressenti que o meu fantasma que outrora era um, agora se havia multiplicado numa falange. Como entrei na seita, partindo do princípio de que eu tinha inimigos invencíveis, e que para continuar resistindo-os, eu teria que viver em combate permanente. O mundo tornou-se mais hostil e conflitivo para mim: eu trombava contra tudo e contra todos. Minhas doenças psicossomáticas e problemas existenciais de toda sorte vinham-se agravando, à medida que eu me afunilava naquele processo de paranóia; via a presença do diabo em tudo que viesse de encontro a minha doutrina. E o pastor me advertia: “Resisti o diabo e ele fugirá de vós; mas se desertardes do quartel de Cristo, o número de capetas que levareis convosco, será sete vezes maior!” Mas para que me mantivesse imune aos adversários, eu teria que comprar uma “vacina”, cuja dosagem era paga em dízimos e trabalhos semi-escravos, e o pior: seu efeito não durava 12 horas. Então, foi que despertei, enfim; voltei à “vida mundana”, não fui obsediado por espírito algum. Conclusão: eu teria montado uma batalha cujo campo era a minha mente e o cavalo dela era eu mesmo. 4.2 Navegando na Infernet Estávamos no ano 3.273 (do calendário judaico), quando, de repente, caí em profundo torpor. Dali, então, senti minha mente mergulhar em delírios: vi-me sentado no sopé duma montanha, que era contornado por um riacho de água corrente. Ao volver para a linha do horizonte, vislumbrei uma tremenda fresta que se abriu nas nuvens, e por aquela abertura o Anjo do Senhor descendo dentro duma redoma, uma espécie de garrafa com a inscrição 51. Tamanha foi a minha surpresa, quando surgiu diante de mim um trem fantasmagórico, serpenteando a cordilheira com um “balacobaco” azucrinante. Ao passar por mim aquela carruagem, fui abduzido para o seu interior. Dos passageiros, falante, só havia eu; os demais se comunicavam por telepatia. Ali eu dividia o espaço com seres monstrengos. Perplexo, procurei saber do maquinista, onde seria o paradeiro daquele camboio. Ele me respondeu: “Sheol, Ades, Hell, Nara, Inferno!” Então, exclamei: Basta! Agora já entendi! Na parada final, estacionamos perante um gigantesco portão de ferro, ladeado por uma guarita, dentro dela havia um cão-de-guarda de dez cabeças – era um cachorro afalado – um recepcionista muito cavalheiro, que atendia pelo nome de Cérbero. Em seguida, cada visitante recebeu um crachá, no qual constava um código de barras sobreposto pelo número 666. O maldito credencial era indispensável para que pudéssemos trilhar inferno adentro. Distando uns cinqüenta metros da entrada, deparamos com um delta – a nascente de três rios – Geena, Estige e Baratro. Defasados entre si por um ângulo de 120 graus, pelos seus meandros abismais corria uma calda de lavas incandescentes. À meia-noite, a pino, horário local, fomos arrecadados por um barco que aportou à margem do Baratro, cujo timoneiro era o Sr. Aqueronte. E assim zarpamos rumo a uma jornada horripilante. À medida que velejávamos, nas orlas, ia surgindo um aglomerado de galpões em forma de baias; pois lá as almas penadas são alojadas conforme as suas categorias. Na linguagem infernal, aqueles depósitos são chamados de biotérios, as criaturas que neles agonizam são denominadas de cobaias. Acolá, todos vivem sob os cuidados das Fúrias (entidades infernais), e estas, por sua vez, recebem a supervisão do médico alemão, Dr. Joseph Menguelli (ex-manipulador génetico dos Campos de Concentração Nazistas). O tédio só foi quebrado quando os navegantes avistaram um suntuoso anfiteatro à esquerda do rio, ali a tripulação foi obrigada a ancorar a fim de que pudéssemos apreciar a maravilha à vista. Adentramos, sentamos e aguardamos o início do espetáculo. –Adivinhem quem era o dramaturgo? -Pasmem, Dante! Com a sua Divina Comédia. No primeiro ato: assistimos a um juiz sendo empalado por um espeto abrasante, cuja extremidade pontiaguda transfixava o casco de sua cabeça (escalpo). A segunda encenação: exibia como protagonista um advogado chicaneiro que tinha 80% do corpo carcomidos por um cranco maligno. Ainda restavam 20% do seu corpo deplorado. O terceiro drama: apresentava o cadáver de um pastor com 90% do seu total sendo dizimado por uma nuvem de gafanhotos; os 10% restantes, os insetos pouparam; temendo indigestão. Finda a sessão, despedimo-nos com a tradicional saudação dos teatros terrenos: Merda! Merda! Merda! Tomado por acesso de pânico, pus uma venda nos olhos para não seguir assistindo àquelas alucinações macabras. Todavia, ainda tive nervos para solicitar ao cicerone, o meu maior desejo, qual seja, o de contemplar a trindade satânica: Lúcifer, Belzebu e Aschtaroth. Tive, enfim, a glória de chegar à ante-sala que dava para o bunker (porão blindado), onde está assentado o trio onipotente. Frustrante! Ao fim duma longa sabatina, o chefe-de-gabinete e selecionador, Lunguinho, concluiu, alfim, que eu não era digno de me entrevistar com aquelas três sumidades, porque, segundo ele, aqui na terra eu teria status de um sujeito phodido. De imediato, ouvi, simultaneamente, uma descarga de sifão, entoada por um murmúrio que me parecia ser do John Lenon: The dr

    Comentário por BENIGNO DIAS — 07/02/2011 @ 12:19 pm | Responder

  25. O MITO DO DEUS PAI, publicado pela Editora Biblioteca 24X7, é um livro de minha autoria que discute o Universo Inteligente, senhor de sua própria criação, mostrando de maneira definitiva que é impossível existir um Deus Pai no Universo, pois o Infinito não pode se transformar no ser finito, antropomorfo. Ele também traz uma nova teoria sobre a formação das galáxias, estrelas e até formação e evolução dos espíritos. Portanto, não é um livro materialista.

    Comentário por Pedro Cabral Cavalcanti — 21/02/2011 @ 7:56 am | Responder

  26. Quem é Deus? sera que ele realmente existe?
    Talvez ele exista e esteja em nossa frente,mas nossa inteligencia não consegue captar,ou não,sendo apenas criação da humanidade.
    Acredito mais na segunda opção,porque venho observando durante minha vida que qualquer
    acontecimento feliz que a maioria das pessoas tem em suas vidas,elas creditam a Deus.
    Qualquer coisa mesmo,isso me faz pensar que a maioria das pessoas não enxergam a realidade.
    qual é a realidade?que elas proprias é que criaram isso.
    Mas não posso deixar de dizer que tudo isto é um grande mistério,e que no fundo todos nós sabemos
    a verdade,mas porque ainda não encontramos esse fundo de sabedoria que há em nós?
    talvez porque ainda não estamos na evolução correta para entender isto,
    Pode realmente haver um Deus como a maioria acredita,onipresente, digamos um ser humano evoluido
    de cabelos brancos, velho,sábio caramba ta lembrando meu vo kkkkkk
    Ou não,ele pode não existir, assim como eu creio.
    Eu acredito em mim mesmo,acredito no que sinto ser verdade para mim,tento ser fiel ao que sinto,tento ver o
    que as pessoas tem de melhor para literalmente pegar para mim,sou um observador nato,observo o que apresenta ser
    mais coerente no mundo cotidiano e agrego ao que pouco sei,nunca vi Deus,mas ja tive sentimentos tão fortes que poderia dizer que não estou só,as vezes parece que algo vive em mim,não uma força maior como muitos falam,no meu caso esta mais para uma certeza do que para força maior,certeza de que vale a pena lutar por si.

    Comentário por jeferson — 27/02/2011 @ 6:52 pm | Responder

  27. para mim deus e real tanto pelas coisas que ele fez e mais real que nos humanos que nao existimo para com as outras pessoas que nao nos dao valor ele real e vivo e santo

    Comentário por luiz eduardo — 09/03/2011 @ 4:53 pm | Responder

  28. RELIGIÃO! O MELHOR É NÃO TER

    Talvez os senhores pensem que eu seja louco, por abordar um assunto tão polemico como é religião. Mas pelos meus cinqüenta e nove anos de vida eu pude chegar a uma conclusão, que os males que existem no mundo são causados muitas vezes pelas reli¬giões existentes. Eu não professo nenhuma sou o que todos dizem ateu. Como podemos ver a Igreja católica hoje na época atual vende uma imagem de defensora dos mais fracos e dos marginalizados, como os sem terra e outras comunidades, mas nem sempre foi assim, na idade media a santa Igreja ca-tólica queimava gente viva, com a santa inquisição, a exemplo Joana Dakc que lutou com bravura no exercito francês, foi acusada de ser feiticeira e queimada viva, após a sua morte o clero católico a santificou talvez por remorso ou somente para colocar mais um santo em seu repertorio. Todo o religioso sempre defende uma tese e não deixa brecha para questionamento, mas eu digo que temos que questionar sempre, porque não podemos ficar alheios à realidade, as religiões que existem se digladia entre elas cada uma afirmando serem a verdadeira, eles fazem um amaranhado de dogmas e rituais para conseguirem persuadir seus adeptos que por suas vezes a cada dia se tornam cada vez mais dependentes de uma ordem mística, suportando assim uma grande responsabilidade um julgo de pecados que eles se submetem, alienando as suas mentes e os coitados ficam completamente subjugados. Sufocando a sua liberdade, é preciso não confundir liberdade com libertinagem, à liberdade garante a todos exporem seus conhecimentos e seus pensamentos, a libertinagem é tudo isto que você vê hoje nos meios de comunicação de massa, que passa para o povo uma imagem visionaria de tornarem as coisas absurdas legais.

    Vicente de Paula

    Comentário por Vicente de Paula Barbosa Pinto — 11/04/2011 @ 12:04 am | Responder

  29. No Brasil e em todo o mundo a maioria das pessoas tem verdadeiro pavor e não gostam de pronunciar os nomes: diabo, Demônio e outros tantos como ele é conhecido, mesmo àqueles que não professam nenhum credo religioso não se atrevem a mexer com ele, pois ele representa o mau e a injustiça que muitos atribuem serem tentações malignas promovidas pelo Satanás.
    Quero dizer que estas pessoas sempre procuram Igrejas de varias denominações para se libertarem do cão! Lá eles são exorcizados e supostamente livres das tentações presentes ou que possam vir doravante.
    Aproveitando-se destas crendices muitos espertalhões estão ganhando muito dinheiro promovendo verdadeiras campanhas nas grandes redes de comunicação em massa sempre pregando exorcismo de libertação demoníaca e oferecendo prosperidade, riquezas e curas milagrosas.
    Como não poderia deixar de ser, as pessoas que sempre estão carentes e vulneráveis acabam caindo no conto do vigário. Oferecendo-lhes verdadeiras fortunas que os tornam cada vez mais ricos e poderosos, vemos isto todos os dias quando ligamos as nossas televisões que estão infestadas de programas religiosos em horários nobres e têm outros que já são donos de grandes redes de comunicação. Os freqüentadores e seguidores destes espertalhões ficam alienados e muitas das vezes acabam vendendo até seus bens para doar para terem de volta tudo multiplicado. E são seguidores fieis, mesmo sem ter muita convicção do que estão seguindo, mas na verdade quero que prestem a atenção neste detalhe, muitas pessoas que estão ali tem mais medo do demônio de que amor a Deus.

    Vicente de Paula.

    Comentário por Vicente de Paula Barbosa Pinto — 11/04/2011 @ 12:17 am | Responder

  30. Deus não existe é tudo conto do vigario. Mas a humanidade na sua maioria troca o certo pelo duvidoso deixando a logica e se emaranhando em coisas do sobrenatural

    Vicente de Paula

    Comentário por Vicente de Paula Barbosa Pinto — 11/04/2011 @ 12:23 am | Responder

  31. Durante muitos anos , acreditei viementente em um poder maior, esclareço que por ensinamentos e cultura familiar, um mundo regido por um pai de amor não estaria assim no caos absoluto. Na Grécia, os homemns eram tomados pelo pavor dos mitos até a necessidade de invadirem e conquistrem os mares , a partir de então mudaram a visão de pensamento. Assim , também eu voltando dos mares, enxerguei que Deus é apenas uma criaçao do imaginário humano , para explicar o inexplicável e enriquecer o cofres do que fazem da religião uma administração de empresas.São homens inteligentes e espoliadores, espoliando homens fracos e manipuláveis.

    Comentário por Helena — 22/05/2011 @ 3:39 pm | Responder

  32. Deus existe, e breve vai provar isso a todos!

    Comentário por josemir — 29/06/2011 @ 11:49 am | Responder

  33. Dá pena a gente ver pessoas que ganham no seu trabalho menos do que necessitam e por acreditar na absurda mentira que é a existência de deus, deixar nas mãos desses profissionais da fé ( os donos dessas arapucas conhecidas como igrejas) parte do seu minguado salário aceditando que logo em seguida essa quantia vai duplicar, pois “deus” vai lhes repor com uma quantia ainda maior. Isso é uma mentira criminosa, pois torna o pobre ainda mais pobre e o espertalhão ainda mais rico. Se você faz parte desse grupo de ingênuos, faça um teste: vá a sua igreja é pague a mensalidade conhecida como dízimo e vá depois ao armazém e verifique se o seu dinheiro ” aumentou” claro que os C$ 54,00 que você entregou ao debochado “missionário” vai ( é clario) fazer com que você compre menos. E você nunca mais vai ver aquele dinheiro e nem milagre algum. Verifique quantos médicos, engenheiros, advogados, Oficiais das três forças frequentam a sua igreja; pra que você tenha uma ideia pergunte a presidente Dilma quantas vezes ela já foi à alguma igreja, tenho certeza se por um acaso ela entrou numa dessas, se ela o fez foi para cumprir ato oficial do seu cargo. Fico estarrecido quando vejo pastores vangloriando-se por” milagres” por eles feitos. Os evangélicos então são vítimas dessas combinações mentirosas. Se deus existisse seu dito filho Jesus ( esse mito) não teria “morido ” na cruz. Cristo tão venerado. teve tantos ou mais defeitos que nós: foi um preguiçoso, um “riper” só comia a custas dos outros nunca soube que trabalhasse em alguma coisa veja o “versículo com tomé quando ele disse_ hoje cearei em sua casa. Cristo foi um anarquista de pouco valor pessoal sem nenhuma influência os Romanos o ignorava tanto assim que nem os da sua origem acreditaram e nem acreditam nele. O cara que escreveu esse mentiroso livro a bíblia ao escrevê-lo não deixou de mencionar os 10% pra pagar a sua “entrada no céu” a verdade é que deus não existe e nem nunca existiu, mas cristo foi um ser humano comum; tanto assim após a sua falsa morte na cruz, foi descansar não no céu, mas nos braços da sua amada Maria Madalena e tiveram três filhos descobertos por um arqueólogo a coisa de um ano atrás quando achou a sua tumba.

    Comentário por ademar queiroz — 21/08/2011 @ 7:42 pm | Responder

  34. Acredito que não somos apenas carne ,existe algo mais especial…Já estive encoma , pude perceber, que o espírito está em nosso corpo . Somente, quando acordei ,senti na pele…Acredito que exista alguma coisa que não vemos ,não pudemos tocar ,não enxergamos…Que nem a ciência comprova….Será que é Deus!!! Se pararmos para pensarmos, não acharíamos resposta ,porque a vida é um desafio !!!! Como surgimos ? Será que temos resposta para tantas respostas >>>É melhor refletirmos muito e tentar acreditar no que pensamos que acreditamos…..

    Comentário por Dircemaria Joao — 05/01/2012 @ 10:51 am | Responder

  35. O fato de não encontrarmos uma resposta comprovada para o que convencionou-se chamar Deus não significa que está provada a inexisatência de Deus.
    Por outro lado, o fato de não conseguirmos provar que Deus não existe não implica em estar provada a existência de Deus.
    Eu, particularmente, não diria que Deus é simplesmente uma mentira. Não. Não diria não. Deus surgiu, acredito, da evolução milenar de especulações sobre o tema. Conhecemos as famosas mitologias grega, romana, germânica, ameríndias etc. O homem sempre especulou sobre o assunto como busca de uma resposta às suas inquietações sobre o “de onde vimos e para aonde iremos”. Como afirmado antes, a evolução dos mitos, dos deuses públicos e deuses domésticos, e muito antes da nossa hoje conhecida globalização econômica, atraves das guerras de conquistas e conquistas sem guerra, o homem chegou à globalização da essência do mito chamado Deus.
    Penso que não seria o caso de alongarmos mais, todavia, estou aberto ao debate.

    Comentário por Juber Alves Baesso — 04/03/2012 @ 11:06 am | Responder

  36. mesmo dizendo que Deus não exista , vc autor , não deixou de esquecer de por o nome Deus em seu post com letra maiuscula , se Deus é um mito porque vc mesma contradiz suas afirmações ,
    só lhe pergunto , quantas conquistas vc teve com esse tipo de pensamento ? me diga , é bem sucedido ? tem uma linda família que lhe ama , que lhe da atenção ? vc é feliz ? se alguma dessas perguntas vc responder positivamente vc tem provas que Deus não existe , mas que pena.. imagino como vc é . Tenha pena de vc , que diz que Ele não existe , e tenho CERTEZA , que quando a luta vem vc clama a Ele . ESPERO QUE DEUS LHE PERDOE !

    Comentário por Shiara Azevedo Vianna — 19/03/2012 @ 10:09 pm | Responder

    • Olá, Shiara;
      Primeiramente agradeço a sua visita.
      Shiara, o uso da palavra “Deus” já é um consenso literário. Utilizar a letra “d” em forma maiúscula vai ao encontro do bom padrão da norma culta da escrita. Prezei pela ortografia, não pelo meu pensamento. Se o norteador para a utilização dessa palavra inventada fosse apenas a minha mente, tenha certeza absoluta que faria a questão de escrevê-la utilizando letra minúscula, pois nada que acondiciona o ser humano a um estado deplorável de alienação, fraqueza e falsa esperança merece qualquer espécie de reverência, por mais simplória e insignificante que pareça.
      Não sou simpatizante da ideia de expor minha conquistas: elas estão aqui, são palpáveis, e aqueles que me cercam tem plena consciência disso. Entretanto, orgulho-me de ter uma família que me ama e que, simultaneamente, fornece amparo sempre que necessário. Honestamente, se a minha vida é o retrato de ser ateu, confesso que jamais poderia ter sonhado com situação mais confortável ou regozijante.
      “Você é feliz?”, perguntou você. Não haveria possibilidade de eu ser mais feliz, respondo eu, e certamente uma invenção humana não aumentaria o meu grau de satisfação com a vida.
      Você diz ter pena de mim. Está certo, é um direito seu. Mas declaro que não sou digno de sua pena: eu penso com a minha cabeça, não com a de outrem; tenho uma ocupação, não vivo de lamuriar desejos e frustrações para um ser inexistente; sigo e toco a minha própria vida, não preciso da aprovação do pastor mais próximo. Pena, diz você. Eu, sinceramente, acho que você deveria ter inveja.

      Comentário por jorgesneto — 27/03/2012 @ 12:03 am | Responder

      • “Eu invejo você” ooops, isso é pecado não é? #OremosEntão”. A propósito “adorei” teu post. Infinitamente realista. Abraços e “fika na paz”

        Comentário por Apóstolo Paulo (@ApstoloPaulo) — 26/06/2012 @ 8:02 pm

    • Shiara, você deveria ter pena de si mesma.

      Comentário por Mariane — 21/08/2012 @ 11:38 pm | Responder

  37. Deus existe eu acredito,e nunca vou deixar de acreditar.te amo Deus.

    Comentário por marcia — 28/03/2012 @ 9:33 pm | Responder

  38. Deus existe,Deus existe,e digo um milhão de vezes se quiser…..

    Comentário por marcia — 28/03/2012 @ 11:15 pm | Responder

  39. “Eu sempre acreditei em Deus. Fui até fanático. Mas para acreditar em Jesus precisei ficar ‘cego’ literalmente. Acho que nesta empreitada devo ter ficado surdo e psicótico também. Que é que se passava na minha mente durante a viagem para Damasco, dia após dia, no pó da estrada e sob o calor escaldante do sol? Só podia ter visões e escutar vozes mesmo! Hoje sou liberto ‘graças a Deus'”. Bom, este é apenas um personagem meu no twitter, um apóstolo cansado de cumprir obrigações que se prolongam em mais de 2000 anos! Vive no céu com Deus e demais entidades superiores. Na verdade, sou uma mulher, atéia, que durante nada menos que 33 anos da sua vida acreditou em todas estas baboseiras, mas só agora há um ano ou mais enxerguei finalmente a realidade. Hoje sou liberta, mas ainda tenho dificuldades de relacionamento. Meu esposo é crente e não iria entender nunca. Então ele ainda não sabe. Ai como sofro!!!

    Comentário por Apóstolo Paulo (@ApstoloPaulo) — 26/06/2012 @ 7:55 pm | Responder

  40. sempre fui fiél e temente a deus mas,ultimamente perdi totalmente a fé por isso vim parar neste fórum,sem duvidas é um post muito bem escrito porém não diferente dos crentes em deus são apenas as ideias do escritor sem embasamento cientifico .nimguem pode provar a existência ou inexistência de deus ,compete a cada um saber respeitar a opinião de cada um ,só descordo totalmente do escritor quando diz que todos os lideres religiosos querem tirar proveito da sua liderança ,muitos são movidos simplesmente pela fé independente da existência de deus ,e a religião sem duvidas atrapalha a vida de muitas pessoas mas ela já salvou muitas pessoas principalmente de pessoas muito simples que tem nos lideres espirituais uma referencia e acabam se livrando das drogas reconstituindo famílias destruídas etc .acredito que isto é uma questão de fé de fé de quem acredita nos seus ideais a minha grande tristeza sobre este assunto é saber que a vida é tao curta e no fim dela vou me separar das pessoas que tanto amo para nunca mais velas isto que me dói

    Comentário por gustavo — 30/01/2013 @ 7:34 pm | Responder

  41. e mais nunca senti a presença forte de deus em minha vida mais já senti a do demônio sei que ele existe ,como pode deus não existir?

    Comentário por gustavo — 30/01/2013 @ 7:38 pm | Responder

  42. Venho estudando filosofia recentemente. Sou católico – não praticante, mas ao meu ponto de vista, ao estudar mitoXrazão, é difícil de acreditar em Deus porque para os gregos nada era explicado assim do nada. Por exemplo, fórmula de Bhaskara, teve uma explicação que provava que ela realmente existia e que dava certo. Mas e Deus? Da onde ele surgiu? Como ele surgiu? Porque ele surgiu? Coisas que ainda não foram explicados pela religião.
    Cada um tem o seu direito de ir e vir, cada um tem a sua opinião, isso sim. Se você crê em uma pessoa e isso lhe faz me bem, não importa, a opinião é sua. Mas se eu não creio nessa pessoa, é uma opinião minha.
    Entre mito e razão, Deus se encaixa em mito por não ter uma explicação óbvia, não científica, mas a explicação concreta de que “não, realmente, ateus estavam errados e Deus existe!” Enquanto não houver essa explicação, com certeza Deus será um mito. Vai depender da sua fé se ele vai existir ou não.
    Assim como a mitologia grega, crê quem quer, quem não quer fica em paz do mesmo jeito.

    Comentário por Victor Sonoda — 05/03/2013 @ 12:14 am | Responder

  43. Não só Jesus Cristo não tem a sua existência confirmada pela história, isto é, fora da bíblia. Todo o alegado cristianismo do primeiro século na Palestina, com Jesus, apóstolos etc. jamais foi confirmado, senão pelas fraudes pias. Por enquanto a versão apresentada pelo Novo Testamento é pura literatura religiosa se insinuando como história. Mais importante do que mito Jesus Cristo foi a motivação da sua criação. Isso esclarece tudo. Deixo aqui dois textos complementares a esse respeito. Boa leitura.
    http://cafehistoria.ning.com/profiles/blogs/a-antiga-dec-ncia-crist
    http://cafehistoria.ning.com/profiles/blogs/e-o-mundo-ocidental-quase-foi-judeu

    Comentário por Ivani Medina — 02/08/2013 @ 3:01 pm | Responder

  44. depois de alguns meses de duvida volto aqui pra dizer que tive sim um periodo de duvida mais hj sem sombra de duvidas sei que deus existe sim ,pode ser que nao da forma como muitos dizem, mais sim ele existe está em todas as coisas e nao pode ser dominado ,nao é a proposta de deus ter sua existencia discutida em grandes discursos ,ele está na simplicidade o homem com toda sua inteligencia nunca conseguiria provar a sua existencia se conseguisse ele dominaria deus mas a verdade de deus está muito alem do homem ,tive a certeza disto ao me separar da sua verdade , eu só consigo encontrar a felicidade em sua palavra ,depois que me afastei de deus só encontrei a dor pude sentir de perto a obra do mal

    Comentário por gustavo — 10/08/2013 @ 7:44 pm | Responder

  45. Pra quem ainda não viu, olhem esse documentário. Muito interessante, e bem explicado.. De onde tudo isso foi inventado, como, por que ? http://www.youtube.com/watch?v=5R_Vm2wCQj4

    Comentário por Nicole — 08/10/2013 @ 4:12 pm | Responder

  46. um mendigo chega na sua casa e pedi um prato de comida. vc vai negar? ou antes de alimentar a fome do mendigo vc precisa saber de onde ele vem,e pq ele escolheu aquela vida. precisamos saber e conhecer os 2 lados da moeda. até agora não mim responderam de onde vi? pra onde vou? outra!! muitas vezes vc conhece a receita de um bolo, mais muitas vezes o bolo nunca fica igual ao primeiro. ai vc logo fala. não tenho a mão boa,outros dizem errei em alguma coisa. são exemplos simples do dia-a-dia que se pararmos pra pensar que tudo na vida gera um duvida,uma pergunda,um medo e etc…. a ciencia tbem erra. e se DEUS existe? cada um tem suas conclucoes. ja li,pesquisei sobre deus… mais nada poderar tirar de mim a verdade sobre deus. a ciencia vem do conhecimento. e tudo vem de onde?
    eu creio que tem um força maior no universo e que essa força é DEUS.

    Comentário por leandro — 02/02/2014 @ 3:25 pm | Responder

  47. Se qualquer pessoa fosse criada por Judeus, seus pais iriam fazer com que ela acreditasse nas crenças deles, o mesmo para os que acreditam no Candomblé, ou em qualquer tipo de historias desse tipo.
    O que eu acho, acredito que o mundo vai muito alem do que o homem acredita ou inventa, meus pais me fizeram acreditar nos mitos catolicos, e se por exemplo, eu ou uma pessoa que eu amo estiver entre a vida e a morte, eu irei recorrer a Deus. Por causa de minha criaçao e o fato de eu ter apenas essa figura que tenha “poder” em me salvar ou me ajudar.
    Acho tudo uma criaçao do homem(se voce estuda historia, sabe a da igreja, nao havia muita justiça em relaçao ao tratamento do povo e os integrantes referentes a religião), a vida é unica, faça o que acha que tem que fazer e ninguem vai te julgar por isso.

    Comentário por David Luiz — 26/03/2014 @ 1:41 am | Responder

  48. ?

    Comentário por william — 14/04/2014 @ 12:22 pm | Responder

  49. Todos temos opiniões diferentes com relação a esse assunto, todos temos o direito de acreditar ou desacreditar em algo ou alguém , a pessoa que publicou isso apenas expressou a opinião dela sobre isso , ninguém é obrigado a ver nada se não quiser , não é preciso chingar ninguém.

    Comentário por Anacarolina — 19/12/2015 @ 6:28 pm | Responder

  50. Muitos sentimento de revolta nos permeiam, mas relaxa, seja por fora ou por dentro somos fruto de uma mente inteligente assim como seu artigo.

    Comentário por Luiz — 01/03/2016 @ 12:50 am | Responder

  51. Deus existe sim se não fosse Deus quem tinha feito à gente um robô só si for tenho fé nele

    Comentário por Nívia — 01/10/2016 @ 2:00 am | Responder

  52. Vê alguns comentário mais concordo com você jorge “Deus” não existe é so um conto pra controla as mentes e as ações das pessoas de capacidade racional limitada por não se questiona existem muitas perguntas que esses alienados não conseguem responder e ha muitas coisas na Bíblia que esses mesmos que dizem seguir a palavra não fazem como manda a bíblia e um dos atos desses alienados e descorda da opinião do próximo e logo nos amaldiçoam com você vai pro inferno vai vê Deus vai te castiga vai te da canse vai tira a sua família e etc…. So que se esses mesmos alienados fossem mesmo pessoas de Deus não falariam isso porque se eu conheço um polco da Bíblia jesus pregou sobre o amor ao próximo então eles jugam quem não crê em Deus e nos condenam quando oque deveriam fazer como cristão era tenta nos apresenta esse Deus ou então respeita a nossa opinião e não fecha a cara e nos amaldiçoa sendo assim estão sendo hipócritas e estão contradizendo a própria palavra do Deus que eles crêem

    Comentário por jonathan — 29/10/2016 @ 12:36 am | Responder

  53. quem somos?
    porque somos?.
    já perguntou olhando no espelho, o que eu vim fazer aqui?

    Comentário por waldir — 09/04/2017 @ 7:29 pm | Responder

  54. gostaria de saber quem escreveu esse texto fazendo um favor.

    Comentário por joao — 27/04/2017 @ 6:07 pm | Responder


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: