Revendo a Religião

31/12/2007

Imposição da Religão na Infância

Catequese. Doutrina. Retiro de jovens. Cultos de fim de semana. Colégio “religioso”.

Existem várias denominações para o que, particularmente, chamo de lavagem cerebral precoce, ou ainda, submissão a um pensamento coletivo errôneo para o qual a criança – muitas vezes ainda distante do ponto em sua vida em que passará a discernir o óbvio do duvidoso – não está preparada, pois o seu ponto alto de desenvolvimento intelectual está verdadeiramente a décadas de distância. Impor a religião, então, é como literalmente “por o doce na boca da criança”

Reflita comigo: você é uma criança de, digamos, 8 anos de idade, que de repente encontra-se em um lugar onde dizem que existe alguém invisível, lá no alto, nos céus, que vê tudo o que você faz, e que exige que você cumpra determinadas regras, porque senão, quando você “for para o céu”, na verdade, será julgado e irá descer para um lugar muito feio, e lá haverá alguém realmente mau, que vai te fazer sofrer pro resto da vida.

Sinceramente, sendo essa criança, não pensaria duas vezes em obedecer ao que o senhor vestido de preto com colarinho branco estaria a me dizer (ou seja lá qual for a vestimenta que ele estiver usando). Claro, uma criança não sabe interpretar o que lhe é dito tal qual um adulto (infelizmente, muitos deles até hoje não aprenderam), então qual alternativa senão a obediência? Uma criança não saberia retrucar para o senhor-vestido-de-preto-com-colarinho-branco algo como: (more…)

Anúncios

27/12/2007

Ateísmo e Agnosticismo

Filed under: agnosticismo,ateísmo,religião — jorgesneto @ 5:04 pm
Tags: , , ,
Todos os termos aqui definidos foram obtidos a partir de pesquisas bibliográficas e não necessariamente expressam a opinião do autor desse blog acerca das definições ainda controversas dos termos “ateu” e “agnóstico”. Esse artigo tem apenas a intenção de expor as principais definições encontradas na literatura, podendo ser possível encontrar até mesmo definições ligeiramente contraditórias.

O termo “ateu” é formado pelo prefixo grego a-, significando “ausência” e o radical “teu”, derivado do grego theós, significando “deus”. O significado literal do termo é, então: “sem deus”. O ateísmo é, portanto, a convicção de que Deus não existe.

“Agnosticismo” derivou-se da palavra grega “agnostos”, que significa “não saber”. Um agnóstico é uma pessoa que afirma que ninguém pode saber se há um Deus ou mundo espiritual. Thomas Henry Huxley, um naturalista britânico que também era agnóstico, empregou pela primeira vez esse termo em 1869.

Muitas pessoas usam, erroneamente, a palavra agnosticismo com o sentido de “ateísmo fraco” e usam a expressão “Ateísmo” apenas com o significado de “ateísmo ativo” (que afirma categoricamente a inexistência de Deus). O problema é que não se pode estabelecer realmente a crença de alguém simplesmente pelo fato de ele se intitular agnóstico. Pode haver, por exemplo, um teísta agnóstico que considere impossível descobrir por meio da razão se Deus realmente existe, mas que afirme crer em deus (ou deuses) por meio da fé. Há também aquele que não crê na existência dos deuses conforme descritos pelas religiões, mas acreditam na possibilidade de existência de um outro tipo de entidade sobrenatural (estes são comumente chamados de “deístas”).

O ateísmo representa a ausência de crença na existência de Deus/divindades, não necessariamente a negação da existência de Deus.

O agnosticismo não é um meio-termo entre teísmo e ateísmo. Teísmo e ateísmo separam aqueles que acreditam num deus daqueles que não acreditam. O agnosticismo separa aqueles que acreditam que a razão não pode penetrar o reino do sobrenatural daqueles que defendem a capacidade da razão de afirmar ou negar a veracidade da crença teística.

O agnosticismo é a crença de que o homem nunca poderá responder suas indagações sobre as coisas básicas na ciência ou na religião, coisas como a matéria, o espírito ou Deus.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ENCICLOPÉDIA DELTA UNIVERSAL. v. 1. Rio de Janeiro: Delta, 1986.
ENCICLOPÉDIA DELTA UNIVERSAL. v. 2. Rio de Janeiro: Delta,1986.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Agnosticismo

Inaugurando

Filed under: agnosticismo,ateísmo,religião — jorgesneto @ 4:39 am

Estou criando hoje um espaço destinado exclusivamente para expor argumentos que pretendem ir de encontro aos ensinamentos religiosos (aos quais somos submetidos ainda precocemente, na mais tenra idade, momento da vida em que não temos intelecto suficiente para decidirmos pela nossa “própria cabeça”) que habitam as mentes de milhões de pessoas, em diversas formas ideológicas, mas sempre com um mesmo embasamento: uma forma de pensamento coletivo alicerçada no que hoje chamam de Jesus Cristo (como será que os “fiéis” o chamarão daqui a alguns milênios?), de Deus, de “todo poderoso”, e inúmeras outras denominações.

Sou ateu, e esse espaço é destinado para ateus, agnósticos e todo e qualquer internauta que tenha sido submetido a uma análise pessoal e chegou a conclusão de que, como diria o comediante George Carlin, “religion is bullshit” (a religião é uma porcaria).

Àqueles que se consideram cristãos, fica o meu convite para que sejam tecidos comentários também, pois o meu intuito não é ofender ninguém (leia-se ofender pessoalmente, pois certamente idealismos entrarão em choque), e sim ir contra a instituição denominada Igreja, contra os seus preceitos e contra suas mentiras.

Quero inaugurar esse blog com uma frase que foi sabiamente dita por Séneca (filósofo, 4 a.C – 65 d. C):

“A religião é vista pelas pessoas comuns como verdadeira, pelos inteligentes como falsa, e pelos governantes como útil.


OBS: sempre que citar nomes em minhas postagens terei o cuidado de deixar um link direto para algum artigo, site ou qualquer outra forma de publicação online que possa dar mais detalhes sobre a pessoa em questão.

Blog no WordPress.com.